top of page
1e9c13_a8a182fe303c43e98ca5270110ea0ff0_mv2.gif

Alunos são suspeitos de usar IA para fazer montagens de colegas nuas e compartilhar

Pais de estudantes do Santo Agostinho, RJ, denunciaram o caso à polícia, que abriu inquérito para investigar. Ao menos 20 jovens teriam sido expostas. Direção do colégio diz que apura o caso e 'está adotando as medidas previstas no Regimento Escolar'.


A Polícia Civil abriu inquérito após montagens com nudes de alunas do Colégio Santo Agostinho da Barra da Tijuca terem circulado em grupos de WhatsApp. Pais das estudantes procuraram a 16ª DP (Barra da Tijuca) e a Delegacia de Proteção à Criança e ao Adolescente (DPCA), que investiga o caso.

Alunos do 7º ao 9º são suspeitos de usar inteligência artificial para remover as roupas de fotos das jovens que foram postadas nas redes sociais. Eles teriam baixado um programa na deep web, feito as alterações e disparado as imagens adulteradas entre grupos.
Ao menos 20 meninas, estudantes do colégio ou não, teriam sido expostas.
Os envolvidos podem responder por fato análogo à simulação e participação de criança ou adolescente em cena de sexo explícito ou pornográfica por meio de adulteração, montagem ou modificação de fotografia, vídeo ou qualquer outra forma de representação visual.
Em nota, a Polícia Civil disse que faz diligências para esclarecer os fatos.
"A Delegacia de Proteção à Criança e ao Adolescente (DPCA) instaurou procedimento para apurar os fatos. Todos os envolvidos estão sendo chamados para serem ouvidos na especializada. Diligências seguem para identificar a autoria do crime e esclarecer o caso." Em nota endereçada a pais e responsáveis, a direção do Colégio Santo Agostinho classificou o fato como "lamentável" e disse que serão "tomadas as medidas disciplinares aplicadas aos fatos cometidos."
Comunicado do Santo Agostinho da Barra — Foto: Reprodução

A instituição também divulgou uma nota de esclarecimento sobre o caso:


"O Colégio Santo Agostinho tomou conhecimento de que fotos alteradas de alguns de nossos alunos foram divulgadas por meio de aplicativos de troca de mensagens. Como escola, atuamos no âmbito preventivo, promovendo a conscientização de atitudes e valores, a formação em assuntos ligados aos relacionamentos, convivência e violência, e intensificamos os momentos de rotina escolar para o aprendizado de algumas situações e desafios. Informamos que o Colégio está tomando todas as medidas necessárias à apuração cautelosa dos fatos e está adotando as medidas previstas no Regimento Escolar. Sabemos de nossa missão na educação e na formação integral dos nossos alunos, bem como sabemos da confiança de todos em nosso Colégio."
Atriz registrou ocorrência por falsos nudes
Atriz Isis Valverde em imagem postado no Instagram, à esquerda. Ao lado, uma das montagem compartilhadas — Foto: Reprodução
Na quinta-feira (26), a atriz Isis Valverde informou que registrou uma ocorrência na Delegacia de Repressão a Crimes de Informática depois que fotos suas, postas em redes sociais, foram adulteradas para simular o vazamento de "nudes".
A equipe da artista percebeu que as imagens começaram a circular e acionou advogados para tomar providências. Ao menos três montagens foram compartilhadas. A roupa – ou biquíni – usado pela atriz em fotos que ela mesmo havia postado foram editadas digitalmente para que ela aparecesse com os seios ou até o corpo inteiro à mostra.
Acima, a foto da esquerda é real e foi postada pela atriz. A foto da direita, que circula nas redes, é uma montagem. A reportagem do g1 fez uma nova edição para cobrir a falsa nudez.

FONTE:G1

Commentaires


bottom of page