top of page
1e9c13_a8a182fe303c43e98ca5270110ea0ff0_mv2.gif

Após a retirada de algumas linhas, a Gardenia anunciou a dispensa de 60 colaboradores no Sul de Minas

REPRODUÇÃO/FACEBOOK/EXPRESSO GARDÊNIA LTDA


A notificação ocorreu durante uma reunião com os funcionários em Pouso Alegre. Os demitidos atuavam em Pouso Alegre, Poços de Caldas e Itajubá. A empresa justifica que, sem entrada de capital, não é viável manter todos os empregados, e essas demissões são parte do processo de reestruturação em curso.

A maioria das linhas da Gardenia está sendo temporariamente operada por outras empresas até outubro ou até que a empresa possa ajustar seus ônibus e cumprir os horários das viagens. Os funcionários devem receber seus documentos de desligamento até o final da semana, e a empresa garante que o processo está sendo conduzido com a supervisão do sindicato e da Justiça do Trabalho.

O advogado representante da Gardenia, Leonardo Silva, explicou que atualmente a empresa não possui receita para restaurar sua frota e atender às demandas exigidas pelas autoridades responsáveis pelas linhas, enquanto cobre os custos da folha de pagamento. Ele assegurou que a empresa está ciente das solicitações e está trabalhando para retomar o serviço, pedindo transparência durante todo o processo.

Desde abril, a Secretaria de Estado de Infraestrutura, Mobilidade e Parcerias (Seinfra) e o Departamento de Estradas e Rodagens (DER-MG) têm realizado a "Operação Ponto Final", fiscalizando os ônibus da Gardenia após queixas dos usuários. Desde então, a empresa temporariamente perdeu algumas linhas no Sul de Minas, mantendo apenas alguns trechos. Outras empresas assumiram a operação das linhas pelo período de 180 dias.

Até o final desse prazo, a Gardenia deve apresentar soluções ao governo estadual. Caso contrário, corre o risco de perder a concessão.

Fonte: G1


Comments


bottom of page