top of page
1e9c13_a8a182fe303c43e98ca5270110ea0ff0_mv2.gif

Atlético-MG sofre com bola aérea, enfrenta gramado ruim e faz estreia em baixa rotação

Time de Felipão perde Hulk de última hora, tem dificuldade diante do Patrocinense e faz exibição longe do esperado do franco favorito ao título do Campeonato Mineiro



A derrota do Atlético-MG, de virada, por 2 a 1, na estreia do Campeonato Mineiro, para o Patrocinense, está longe de definir a temporada do clube. No primeiro jogo do ano, com um gramado ruim e poucos dias de preparação em relação ao adversário, não se pode cobrar um grande desempenho do Galo, mas deve ser uma direção para melhorias.

O treinador mandou a campo um time diferente do que usou no jogo-treino, contra o Ipatinga, na semana passada. Sem Hulk, que foi vetado da partida por uma infecção estomacal, Scolari optou por Alan Kardec. Além disso, Pedrinho foi quem começou na vaga de Pavón.

Mas quem chegou mais perto do primeiro foi o Patrocinense, em cabeceio de Caíque. Everson foi obrigado a fazer grande defesa. A bola aérea foi, inclusive, ponto fraco do Atlético na partida. Um dos entraves para ser desenvolvido.

O gol do Galo saiu com Maurício Lemos, de falta. O zagueiro bateu colocado no cantinho. E, após o gol, a equipe alvinegra teve ainda mais dificuldade em permanecer com a bola, sobretudo no campo ofensivo. Com espaço entre as linhas, Paulinho recuou um pouco, por vezes, atuando quase no meio-campo.

O empate do Patrocinense veio pelo alto. Bola cruzada para a área, e Everton Kanela cabeceou para as redes. O atacante subiu nas costas do zagueiro Maurício Lemos, que não o acompanhou.

Patrocinense x Atlético-MG — Foto: Pedro Souza / Atlético
Na etapa final, jogo sem muita emoção. Somado ao início da temporada, um gramado pesado, longe do ideal. O Atlético forçou as bolas longas, e as melhores oportunidades surgiram quando o Galo conseguia uma tabela, ou passes rápidos. Que foi raro.

A virada veio, de novo, com uma bola aérea. Hudson apareceu como elemento surpresa atrás de Arana, dentro da área, e marcou o gol da virada. Felipão fez cinco trocas no time após a virada, na tentativa do empate. Pavón foi quem mais se destacou, sendo um lampejo de criatividade e ofensividade. O argentino, pelo lado esquerdo, conseguiu algumas tabelas e infiltrações na reta final. Mas sem nenhum perigo de gol.

Não é nem de longe a estreia que o Atlético esperava, mas também não é fim do mundo. Foi apenas a primeira rodada da competição, que o Galo segue sendo franco favorito ao título. Ajustes são necessários? Sim! Início de uma longa temporada, sem dois dos seus principais jogadores em campo - Hulk e Scarpa.

Mas há pelo menos uma boa notícia. Dificilmente o Galo encontrará um gramado tão ruim quanto o desta quarta-feira nesta primeira fase da competição. O Galo faz, somente, mais dois jogos longe de Belo Horizonte: contra o Athletic, em São João del Rey, e Itabirito, no Mané Garrincha.

E é justamente no próximo domingo, na Arena MRV, a chance da primeira vitória. Alguns dias de trabalho, ajustes na equipe, possibilidade de Hulk e Paulinho estrearem no ano, e a certeza de um gramado com condições de jogabilidade muito melhores.

FONTE:GE
bottom of page