top of page
1e9c13_a8a182fe303c43e98ca5270110ea0ff0_mv2.gif

Aumento de atropelamentos é alerta pra população em Minas


(foto: Jair Amaral/EM/D.A Press)


Na velocidade de um piscar de olhos, um atropelamento pode destruir uma vida ou deixar sequelas graves. Só neste ano, de janeiro a julho, 140 pessoas morreram em Minas Gerais vítimas da imprudência de motoristas ou dos próprios pedestres – em BH, foram 22 óbitos. O número de pessoas internadas pela mesma causa é muito maior e só cresce. No Brasil, foram 18.798 casos no primeiro semestre deste ano, contra 16.654 registros no mesmo período de 2022, um aumento de 12,9%, conforme dados divulgados no mês passado pela Associação Brasileira de Medicina do Tráfego (Abramet), com base em relatórios do Ministério da Saúde. Em Minas, ainda conforme relatório da Abramet, o crescimento foi de 11,7%, com 2.457 hospitalizações nos primeiros seis meses de 2023, em oposição aos 2.200 registros do mesmo período do ano passado – em BH, também houve aumento.

Juvenil. As internações por atropelamento subiram 9,4% entre adolescentes de 15 a 19 anos no Brasil no 1º semestre deste ano, com 1.010 casos, contra 923 registros de janeiro a junho de 2022.

Idosos. A faixa de 60 a 69 anos foi a que registrou o maior aumento (37,9%) de internações por atropelamentos no Brasil, no 1º semestre deste ano, em relação ao mesmo período de 2022. Já em números absolutos, o público de 30 a 49 anos é o que mais vai parar nos hospitais por atropelamentos no país: foram mais de 3.000 casos.

Comments


bottom of page