top of page
1e9c13_a8a182fe303c43e98ca5270110ea0ff0_mv2.gif

Cadela resgatada das ruas 'adota e vira mãe’ de pintinhos em fazenda do Sul de Minas


Cadela resgatada das ruas 'adota e vira mãe’ de pintinhos em fazenda do Sul de Minas — Foto: Reprodução/EPTV



A cadela Dara, de quatro anos, virou mãe de seis pintinhos em um sítio de Congonhal, no Sul de Minas. A cachorrinha que foi resgatada na rua quando pequena agora resolver fazer o mesmo e adotou os pintinhos. Ela os trata como filhotes dela no dia a dia da fazenda com direito a “banho de saliva” e muito amor e carinho.

A história começou quando a família Coutinho ganhou os seis pintinhos. Quando eles chegaram à casa, dentro de uma caixinha, logo Dara os assumiu, sem deixar quase ninguém se aproximar dos filhotes.

“Minha mãe ganhou de uma amiga, pois eles estavam sem a mãe. Minha mãe deixou eles dentro da caixinha assim que chegaram para colocar no viveiro depois. Só que ela não deixava ninguém chegar perto da caixa com os pintinhos. Minha mãe chegou ela tentou morder, meu pai chegou ela tentou morder. A única que ela não tentou morder foi eu”, disse Sílvia Coutinho, que é tutora de Dara.

“No outro dia, quando olhei, ela estava deitada dentro da caixinha. Fiquei muito surpresa quando vi. E foi para proteger mesmo, pois ela estava lambendo eles, super preocupada quando eles começaram a piar. Foi quando me surpreendi, vi que realmente ela tem um instinto de mãe”, completou.

O comportamento de Dara não acontece pela primeira vez. Quando a gata Eva, também da família, deu cria, a cadela não saia de perto dela e do filhote. E esse instinto maternal não é raro entre os animais.

“Quando falamos exclusivamente da questão comportamental, ainda não há muitos estudos a respeito. Mas, quando é uma mudança comportamental oriunda de uma resposta hormonal biológica exacerbada, estamos diante de uma gravidez psicológica. Então, sempre que a fêmea apresentar um comportamento atípico, no pós-cio, é importante que o médico veterinário seja acionado”, explicou a veterinária Daniela Amorim.

Só que no caso de Dara, não há o pós-cio, de acordo com a tutora.

“Ela foi castrada quando fez seis meses de vida. Mas, penso eu que seja um instinto maternal mesmo dela”, disse Sílvia.

fonte: g1 Sul de Minas

Comments


bottom of page