top of page
1e9c13_a8a182fe303c43e98ca5270110ea0ff0_mv2.gif

Coluna Fatos e Versões com Rodrigo Silva Fernandes - 04/08/2023


Construção de dossiês
A coluna tem conversado com diversas pessoas que atuam nos mais diversos grupos políticos locais. Governistas e oposicionistas, bem como legendas independentes que procuram lançar candidatos em 2024. Mesmo a campanha eleitoral não tendo começado oficialmente, as conversas de bastidores e ações pontuais a favor ou contra este ou aquele possível candidato já estão ocorrendo. Nesta semana um assessor político foi destacado para fazer uma “geral na verba de gabinete, folha de pagamentos e gastos” dos gabinetes dos deputados Dimas Fabiano (PP) e, principalmente, do professor Cleiton Oliveira (PV). É grande a pressão para que Cleiton Oliveira seja candidato a prefeito de Varginha, com apoio de legendas da esquerda e do Partido Progressista liderado por Dimas Fabiano. Outra “frente de levantamento de informações políticas de relevância” já analisa valores e gastos de grandes obras do governo Verdi Melo, bem como a relação próxima de altos cargos do governo municipal com algumas empresas que são grandes fornecedoras da administração municipal, detendo contratos milionários nesta administração. A busca de informações visa formar dossiês que podem ou não serem utilizados no ano que vem! Outra linha de atuação foca no crescimento do patrimônio de um destacado integrante do primeiro escalão do governo Verdi Melo. Segundo informações preliminares, além do próprio político, seus familiares teriam “prosperado grandemente depois que o familiar entrou no governo”.

MDB: partido inicia planejamento das eleições 2024
A nova direção do MDB de Varginha encaminhou nota para a coluna, relativa à realização da primeira reunião local da legenda, já sob o comando do novo presidente do partido em Varginha, Stefano Barra Gazzola. No último dia 31 de julho, o partido MDB (Movimento Democrático Brasileiro) realizou sua primeira reunião do ano, em Varginha (MG), já com a nova diretoria executiva. O encontro contou com a presença de filiados e foi conduzido pelo presidente recém-eleito do partido, Prof. Stefano Barra Gazzola. Na reunião, foram discutidos assuntos importantes para o planejamento das eleições municipais de 2024, com o objetivo de fortalecer o MDB e trabalhar para um futuro melhor para a cidade. A iniciativa mostra o compromisso do MDB com a comunidade de Varginha, buscando soluções coletivas para os desafios que a cidade enfrenta. O partido reforça sua dedicação à democracia, transparência e ao desenvolvimento socioeconômico da região, destacando a importância do diálogo e da participação dos cidadãos nas decisões políticas. A eleição de Gazzola para a presidência do MDB municipal é mais um forte indício de que a legenda realmente planeja lançar candidato em 2024 e o professor e ex-reitor do Unis, Stefano Gazzola é o principal nome do partido.

Aumenta o nível de confiança dos empresários do CESULL
O Conselho Empresarial do Sul de Minas (CESUL) realizou a sua 50ª reunião em julho e no evento foi aplicado o questionário sobre a confiança dos empresários. Os dados obtidos demonstram uma boa recuperação na confiança dos pesquisados, que apresentam uma visão otimista no contexto atual e na perspectiva futura. O índice geral de confiança (obtido através da média entre a percepção atual e futura) resultou em 105,17 pontos, uma alta de 5,59 quando comparada com a pesquisa anterior. No que tange ao nível atual de confiança (referente ao 2° trimestre/2023) o índice ficou em 104,17 pontos, elevação de 5 pontos em comparação com a última sondagem. Já a perspectiva futura para o terceiro trimestre deste ano indicou resultado de 106,17 pontos com alta de 6,17 em relação à última pesquisa. No contexto atual foi possível verificar que a percepção dos empresários está otimista em 4 quesitos (contratações, investimentos, segmento de atuação e vendas), com dois deles acima dos resultados da pesquisa anterior. Este destaque positivo fica com a recuperação dos investimentos e o segmento de atuação, o que pode indicar uma melhoria no ambiente de negócios. Dois quesitos permaneceram no campo negativo, são eles a inadimplência e economia nacional, sendo que o primeiro apresentou leve queda e o segundo uma considerável alta. Quanto às perspectivas futuras para o terceiro trimestre de 2023, os empresários inquiridos demonstram otimismo em quatro quesitos: contratações, investimentos, segmento de atuação e vendas. Destaque maior para a forte alta em vendas e investimentos, sendo que este último estava no campo negativo na avaliação anterior. Dois quesitos continuam no campo pessimista, porém acima do resultado passado, são eles a inadimplência e a economia nacional. Os resultados apurados indicam uma boa melhora na confiança dos empresários do CESUL, principalmente no que se refere aos investimentos, que voltaram ao campo positivo, e à economia nacional que, mesmo mantendo-se no patamar negativo, ainda assim teve forte elevação. A queda na inflação, a aprovação do texto base da reforma tributária na Câmara dos Deputados e a melhora na previsão de alguns indicadores ajudam a explicar essa evolução no otimismo empresarial. No entanto, a inadimplência ainda é fator preocupante, tendo em vista o endividamento das famílias e o alto nível da taxa de juros. No contexto externo ainda há fenômenos econômicos e geopolíticos que atravancam uma melhor recuperação mundial e que também influenciam as decisões locais. No curto prazo, o comportamento desses fatores, especialmente internos, será fundamental para que a confiança empresarial continue em crescimento.

Agro mineiro: Exportações chegam a US$ 7 bilhões no 1º semestre
As exportações do agronegócio mineiro totalizaram US$ 7 bilhões no acumulado de janeiro a junho deste ano, com 7,6 milhões de toneladas embarcadas para 166 países. Os dados representam queda de 9% na receita e alta de 11% no volume em comparação ao primeiro semestre de 2022. As vendas externas do agro foram responsáveis por 36% do total exportado por Minas no período. A redução no faturamento do comércio exterior do agro em Minas é justificada, especialmente, pela desvalorização do café no mercado internacional, sendo esse o principal produto da pauta exportadora estadual no setor agropecuário. Além da redução no preço da commodity, o volume comercializado também foi 22% inferior aos seis primeiros meses do ano passado. Isolado, o mês de junho de 2023 atingiu o valor de US$ 1,2 bilhão, com 1,4 milhão de toneladas enviadas para fora do país. Comparando esses números com o mesmo intervalo do ano anterior, houve retração de 16% em valor e aumento de 5% na quantidade exportada. A projeção é de que 27,8 milhões de sacas de café sejam produzidas na safra de 2023. O número é 27% superior ao obtido no último ano, quando os produtores sofreram perdas nas lavouras devido às dificuldades climáticas. Nos seis primeiros meses de 2023, 642 diferentes produtos agropecuários de Minas Gerais foram comercializados internacionalmente, com preço médio de US$ 920,36 por tonelada. O principal destino dos embarques foi a China (36%), seguida pelos EUA (8%), Alemanha (6%), Itália (4%) e pelo Japão (4%). Líder das exportações do setor agropecuário mineiro, o café tem desempenhado papel crucial na receita total do agronegócio do estado com o comércio externo, representando 36% do valor total. No primeiro semestre deste ano, o produto faturou US$ 2,6 bilhões, com embarques correspondentes a 11 milhões de sacas. Houve quedas de 26% no preço e de 23% no volume enviado para fora do Brasil. Entre os compradores da commodity, destacam-se: Estados Unidos (US$ 473 milhões), Alemanha (US$ 399 milhões), Itália (US$ 232 milhões), Bélgica (US$ 169 milhões) e Japão (US$ 166 milhões). O complexo soja, que inclui grãos, farelo e óleo, segue como um dos principais produtos do catálogo exportador do agronegócio em Minas Gerais, alcançando receita de US$ 2,3 bilhões com a venda de 4,3 milhões de toneladas. O setor registrou crescimento de 12,6% na quantidade, enquanto o valor se manteve estável, com pequena redução de 0,4%. A soja em grãos, na vanguarda do segmento, mantém bom ritmo de saída, impulsionado pelas compras da China (79%), da Tailândia (5%), do Irã (5%), da Argentina (5%), de Taiwan (4%) e do Vietnã (2%). O aumento do volume exportado de soja é decorrente da safra recorde do grão no estado e da demanda aquecida pelo produto no exterior.

Apostando na vitrine, para ensacar vento em 2024?
Este segundo semestre de 2023 é um importante período para o governo, pois diversas obras estratégicas ainda podem ser lançadas a tempo de serem inauguradas na “porta das eleições de 2024 quando o governo municipal tentará colocar um jabuti em cima do poste”. O diário oficial vem trazendo a contratação de obras e mais obras, gastos milionários que prometem crescer a estrutura pública municipal, a folha de pagamentos dos servidores públicos e também a oferta de serviços públicos à população. Se há critério técnico na escolha ou planejamento de fazer esta ou aquela obra neste ou naquele momento não sabemos! Fato é que somente no último dia 27 de julho foi publicado no diário oficial a contratação de mais duas grandes novas obras, no valor total de quase R$ 9.5 milhões! Trata-se da concorrência 004/2023, cujo objeto constitui-se da contratação de serviços na área de engenharia incluindo mão-de-obra, materiais e equipamentos para construção de uma Escola e do Centro Municipal de Educação Infantil – CEMEI, no bairro Santa Luzia. A empresa Rocha Construtora e Manutenção Industrial e Predial Ltda ganhou a disputa e vai cobrar o preço de R$ 6.749.597,03 (seis milhões, setecentos e quarenta e nove mil, quinhentos e noventa e sete reais e três centavos) para execução do Lote 01 (Construção de uma escola) e R$ 2.559.478,59 (dois milhões, quinhentos e cinquenta e nove mil, quatrocentos e setenta e oito reais e cinquenta e nove centavos) para execução do Lote 02 (Construção de um CEMEI), perfazendo o valor total da contratação em R$ 9.309.075,62 (nove milhões, trezentos e nove mil e setenta e cinco reais e sessenta e dois centavos). Este conjunto de obras se soma a outros investimentos importantes como as obras do complexo do Mercado do Produtor, Av. Sanitária e outros que estão planejados para serem entregue até agosto de 2024, a tempo de serem mostradas na “vitrine eleitoral do candidato oficial, que nada fez para a concretização das mesmas além de concordar com o prefeito e o secretário de governo, que são os possuidores de caneta com tinta neste governo”. Não por acaso, para aqueles que estão dentro da máquina pública, o comentário de mérito e liderança aponta que o secretário de governo teria bem mais crédito que o vice nas conquistas deste governo, mas como definiu-se de tentar colocar a tartaruga em cima do poste em 2024, vamos ver se o eleitor cai neste golpe! Na última vez que o eleitor foi levado a erro desta maneira, elegemos a Dilma Roussef como presidente (ou presidenta?) da República, depois disso, passamos 6 anos nos perguntando como pessoa tão despreparada chegou a tal posto”? E o Brasil pagou caro pelo erro cometido, será que o eleitor aprendeu? O “meu querido” eleitor pode ser levado a votar errado em 2024 e depois passar 4 anos saudando a mandioca ou ensacando vento! Fiquem atentos!

Centro de Evento do Rio Branco: Projeto foi aprovado pelas instituições de defesa do patrimônio histórico e cultural?
As obras de reforma do antigo Cine Rio Branco no centro de Varginha estão a todo vapor, para transformar o local no mais novo Centro Municipal de Eventos da Prefeitura de Varginha! A obra é um investimento estratégico que vai ajudar na extensão da grade curricular dos alunos da rede municipal, pois poderá abrigar milhares de alunos em programas de aprendizado e recreação cultural. Além disso, o investimento público municipal na restauração do imóvel para garantir a preservação de um espaço que estava sendo perdido pela população. Contudo, tendo em vista o tombamento do imóvel, é necessário saber se o extenso projeto de restauração do imóvel foi aprovado pelos órgãos estadual e federal de defesa do patrimônio histórico e cultural? Não se tem esta resposta divulgada até o momento! Onde está o Legislativo para questionar o fato? Afinal, se o projeto em construção pela Prefeitura de Varginha oferecer algum risco para o conjunto arquitetônico do imóvel, apenas os órgãos de proteção do patrimônio histórico e cultural podem dizer e barrar tal dano! Onde estão os defensores da Cultura? Onde estão os integrantes do “Movimento dos Sem Tela” que tanto lutaram para tombar o imóvel do antigo cinema? Será que a Prefeitura de Varginha vai levar adiante o projeto de reforma sem a aprovação dos órgãos competentes responsáveis pela área? E o Ministério Público, não vai falar nada? Apenas na cobertura da edificação, o governo vai gastar R$ 311 mil, segundo publicação no diário oficial realizada no último dia 27 de julho. Vale destacar que, depois de gasto o recurso, quebrado paredes, arrancado móveis e traços históricos do prédio, não há mais como recuperar! As autoridades precisam ser rápidas e, sobretudo, cumprir a lei!
bottom of page