top of page
1e9c13_a8a182fe303c43e98ca5270110ea0ff0_mv2.gif

Coluna Fatos e Versões com Rodrigo Silva Fernandes - 15/03/2024




Puxada de tapete
Ontem Varginha amanheceu com clima de conspiração no meio político. Uma importante mudança no comando de uma das principais legendas partidárias do Brasil trouxe reflexos em outra grande legenda em Varginha. O fato é que poucos partidos na cidade estão constituídos por meio de diretórios municipais. Ou seja, poucos comandos de legenda nas cidades foram eleitos e possuem mandatos. A maioria está disposta em comissões provisórias, que como o próprio nome diz, está sujeita a mudanças a qualquer momento, e foi o que aconteceu. Um importante partido na cidade teria mudado de comando, saindo das mãos de governistas para a mão da oposição. Com a mudança, um vereador da oposição teria agora a chance de realizar o sonho de ser candidato a prefeito. Ontem a movimentação e conversa política em Varginha e Brasília foi intensa. Alguns revoltados e outros comemorando as mudanças. Vale pontuar que dois líderes mineiros tiveram suas digitais nas mudanças: o presidente do Senado Rodrigo Pacheco (União Brasil) e o deputado federal Dimas Fabiano (PP). Mas embora a oposição tenha conseguido uma importante vitória de bastidores, facilitou uma construção política para o candidato do governo. Ontem mesmo ocorreu reunião do candidato governista com outra legenda local. A diferença é que a legenda alvo do encontro com o candidato governista possui diretório municipal eleito e grupo político local, inclusive com pré-candidato lançado na cidade. Será que uma união de forças está a caminho?

Pé de ouvido
Na última quarta-feira aconteceu uma importante inauguração no triângulo mineiro. Uma grande fábrica de fertilizantes foi inaugurada na Serra do Salitre, com a presença do presidente Lula e do governador Romeu Zema, bem como suas assessorias e apoiadores. O evento teve destaque na mídia e mesmo tendo acontecido a centenas de quilômetros de Varginha significou um importante passo para a política local. Ocorre que tanto Lula quanto Zema foram procurados por interlocutores diferentes para tratarem das eleições municipais de 2024, e Varginha esteve na roda de conversas. Lula consolidou a necessidade do PT (e aliados PV e PCdoB) lançarem candidatos leais ao governo federal, bem como contar com o total apoio do governo e presença do presidente em Minas. O PT não poderá lançar candidato próprio em todas as cidades porque está unido em federação com duas outras legendas: Partido Verde (PV) e Partido Comunista do Brasil (PCdoB). Assim, em algumas cidades, como Varginha por exemplo, o PT vai apoiar o candidato oriundo do PV para as eleições municipais. Isso não foi pacificado no PT local, e inclusive alguns filiados do PT de Varginha tem ação na Justiça contestando o resultado da convenção partidária municipal. Mas mesmo com a inquietação e briga interna do PT local, duas coisas estão certas: a primeira é que o PT vai focar seus esforços (e recursos) na eleição de seus candidatos a vereadores e defesa do governo federal (Lula), sem muita preocupação ou gastos com a eleição do aliado do PV na cidade. A segunda definição é que os petistas locais vão tentar estadualizar e nacionalizar o discurso na campanha municipal. Ou seja, vão tentar usar a eleição municipal em Varginha para tratar de temas estaduais e nacionais.

Pé de ouvido – parte 02
O objetivo é atacar Zema, principal opositor e futuro possível concorrente do PT nacional e do próprio Lula, bem como tentar destacar as obras e apoio de Lula para a chapa de esquerda em Varginha, o que estrategicamente pode não ser adequado, tendo em vista que o eleitorado de Varginha tem maioria de direita. Não sabemos se o pré-candidato de esquerda do PV, que vai representar a federação política com o PT, vai cair na estratégia montada pelo PT e nacionalizar os temas políticos nas eleições municipais. Varginha possui problemas locais e projetos próprios que precisam ser debatidos. Além disso, trazer Zema e Lula para o debate político das eleições municipais pode não ser uma boa para o candidato do PV, pois Zema tem forte apoio em Varginha enquanto que Lula tem forte oposição. Mas é fato que Lula disse a seus apoiadores de Minas, no evento da Serra do Salitre, em Minas, que deseja ver nas eleições municipais do estado o debate de temas nacionais, e Varginha é vital nesta estratégia porque centraliza as TVs que passaram o horário eleitoral para mais de cem outras cidades no Sul de Minas, região onde o PT tem resistência. Segundo fonte da coluna, na conversa de Lula e articuladores políticos do PT em Minas, Varginha foi colocada como uma das cidades estratégicas na articulação petista para 2024.

Pé de ouvido – parte 03
Também no evento político na Serra do Salitre, no Triângulo Mineiro, o governador Romeu Zema falou (em sigilo) sobre a política municipal de Varginha e sobre as eleições de 2024. Uma fonte da coluna participou de conversa entre o governador e um importante aliado fora do governo estadual que trataram sobre o apoio de Zema em Varginha nas eleições de 2024. Segundo a fonte, Zema foi procurado para saber sobre a estratégia do governo estadual nas eleições municipais. Varginha é uma cidade importante politicamente e possui diversas conexões com o governo Zema. Temos aqui importantes investimentos estaduais, aliados de destaque de Zema, além do Sul de Minas ser foco de apoio à direita e outras áreas como o agronegócio e indústria, muito próximos de Zema. Na conversa que o governador manteve com um importante aliado, destacou que é grato ao prefeito Vérdi Melo, que o apoiou nas eleições de 2022 e sabe da boa gestão e aprovação de Verdi na cidade. Contudo, em 2024 não é Verdi quem será candidato, o que desobriga o governador de qualquer “devolução do apoio dado em 2022”. Todavia, o Governo Estadual não quer ver um opositor no comando da cidade em 2025 e o deputado estadual Cleiton Oliveira (PV) é claramente um opositor do governo Zema na Assembleia Legislativa. Cleiton OIiveira vai inclusive contar com o apoio formal do PT em Varginha, o que evidencia sua oposição a Zema. Vale ressaltar que o Partido Novo de Zema não terá candidato próprio nas eleições de municipais neste ano, mas a legenda, seus líderes locais e aliados estratégicos de Zema, tem preferências que foram levadas ao governador. O nome de Stefano Gazola, hoje pré-candidato pelo MDB tem maior simpatia e apoio interno no Partido Novo e entre aliados de Zema que o pré-candidato governista em Varginha, Leonardo Ciacci. O prefeito Verdi Melo não teria como pedir a Zema “devolução do apoio dado em 2022”, porque não é Verdi quem é o candidato governista, mas sim Ciacci. Já Zema não teria como pedir apoio a Stefano Gazola, do MDB, porque o Partido Novo não tem candidato oficial na cidade. Mas a ambos, Zema e Verdi, não interessa a vitória de Cleiton Oliveira. Logo, o interlocutor que conversou com Zema no triângulo mineiro, destacou a importância de Zema e Verdi terem candidato comum em 2024, unindo forças contra o PT que apoiará Cleiton Oliveira. Dizem que a conversa entre Zema e o interlocutor foi “produtiva”.

Espectadores
Dos muitos deputados que atuam em Varginha poucos estão tendo papel de protagonistas na construção política municipal de 2024. A maioria acompanha de longe como espectadores. Nenhum dos parlamentares quer entrar pesado nas articulações municipais e correr risco de perder apoio futuro de quem vencer. Embora muitos tenham conseguido algum recurso ou benefício para a cidade por meio de um aliado local, poucos se atrevem a garantir recursos para campanha ou comprar brigas pelos aliados municipais. Este parece ser o caso de Greice Elias, Marcelo Álvaro Antônio, Eros Biondini entre outros. Já nomes como Dimas Fabiano, Odair Cunha, Diego Andrade e Rodrigo Pacheco estão atuando em casos pontuais e dando contorno na política municipal. Dimas Fabiano e Rodrigo Pacheco estão juntos em importante articulação política recente na cidade. Já Odair Cunha será o fiador do apoio do PT a seus candidatos na região, principalmente os pré-candidatos a vereadores. A legenda foca na maior presença no Legislativo. E quanto a Diego Andrade e seu PSD, dizem que já teria fechado o apoio ao candidato governista Leonardo Ciacci, que mesmo com o ganho de apoio estaria preocupado com perdas recentes. Diego Andrade não estaria tão interessado em Varginha, ou na política municipal, dando mais atenção a vizinha cidade de Três Pontas, onde conseguiu mais votos que em Varginha. A menor participação e atividade de Diego Andrade na política local teria desagradado a aliados locais do PSD, que já pensam em mudar de legenda. Será mesmo?

Cada um por sí
Em que pese as muitas brigas políticas na Câmara de Varginha ao longo dos últimos três anos, os vereadores de oposição e governo parecem terem chegado a um “acordo branco”, estão todos focados na própria reeleição e deixaram brigas governistas de lado. Sabem que precisam focar agora na própria sobrevivência política e garantir a continuação do mandato. Embora um ou outro ainda acalenta desejo de ser candidato a prefeito ou vice, a maioria já está focada na própria campanha, que aliás já começou faz tempo. Pelo que se vê nas reuniões de bairros, pelos bares das periferias, nenhum vereador tem brigado mais para defender ou atacar o governo. O foco é ganhar o voto do eleitor para o Legislativo, mesmo que o voto desse eleitor seja dado a outro na escolha do candidato a prefeito em 2024. Até mesmo as brigas calorosas em plenário entre vereadores da oposição e governo foram esquecidas e alguns já são vistos pedindo votos (sorrateiramente) pelos mesmos bairros da periferia.

OAB interativa em Varginha
Surpreendente a interatividade da Ordem dos Advogados do Brasil em sua subseção de Varginha. A entidade tem participado de diversos eventos e promovido a interação com dezenas de outras instituições, governos e setores da sociedade. O mais recente evento será o 1° Encontro OAB das Pessoas com Deficiência de Varginha – MG que acontece no dia 23 de março e conta com a participação de especialistas em inclusão, atividades e oficinas abertas ao público. A dinâmica atuação da OAB tem o perfil do presidente da OAB Varginha, advogado Alexandre Prado, liderança setorial que neste ano eleitoral é assediado para entrar para a política. Contudo, amante da advocacia e defensor do Direito, Prado não está interessado em vida política. Alexandre Prado segue os passos de outro líder da advocacia local: Gustavo Chalfun, que hoje é presidente estadual da Caixa de Assistência dos Advogados – CAA/MG, sendo uma das principais novas lideranças no cenário do Direito em Minas. Por sua vez, Gustavo Chalfun é amigo pessoal e iniciou sua construção como liderança regional na advocacia junto com o advogado e atualmente Presidente do Senado, Rodrigo Pacheco, hoje uma importante e influente figura pública nacional. Logo, se todos os caminhos do Direito parecem convergir para a formação de grandes líderes políticos, em breve podemos sim ver o nome de Gustavo Chalfun e Alexandre Prado nas urnas, quem sabe!

Obras e planejamento
Mais um grave acidente aconteceu na Avenida Celina Ferreira Ottoni em Varginha, causando uma morte, feridos e muitos estragos. O local já foi sinalizado, a avenida, que é duplicada, já recebeu radar para controle de velocidade dos veículos e também rotatória para tentar acabar com os acidentes. Mas a irresponsabilidade do ser humano parece não ter fim. São motoristas dirigindo bêbados, outros em alta velocidade, muitos sem cinto ou capacete e a fiscalização cada dia mais precária. Temos ainda um complicador maior naquela avenida: o desenvolvimento daquela região. Ou seja, agora enquanto ainda há espaço para obras de ampliação da pista ou suavização das curvas é possível fazer modificações na via a preços menores. Depois que a Avenida Celina Ottoni for totalmente tomada por construções, comércio e moradias ficará praticamente impossível para os cofres públicos tomar qualquer medida de impacto para melhorar a qualidade e segurança naquela importante via. O prefeito Verdi Melo vem percorrendo as principais obras públicas da cidade, como a construção do Mercado do Produtor, canalização de córregos, construções diversas e asfaltamentos, mas deveria ir a rotatória da Avenida Celina Ottoni, verificar in loco e determinar estudos técnicos para garantir a segurança atual e futura daquela avenida que tende a crescer enormemente seu fluxo de veículos diários. O prefeito Verdi Melo tem sido um visionário em muitas obras pela cidade, e tem em sua “caderneta de missões a cumprir antes de deixar o governo” o reparo estrutural que provoca os alagamentos na Avenida Otávio Marques de Paiva e a falta de estrutura e planejamento que provoca os graves acidentes na Avenida Celina Ferreira Ottoni. Sabemos que o prefeito acompanha a coluna e já deve estar debruçado sobre uma solução para estes dois problemas. É o que se espera, vamos aguardar e conferir!

2 Comments


Madame Pink
Madame Pink
Mar 15

A coluna hoje está recheada de grandes conspirações e acontecimentos.

Muita água passará debaixo dessa ponte chamada eleições 2024.

Há quem diga que os cidadãos não gostem e queiram distância da POLÍTICA, mas isso ocorre por conta dos complexos meandros nesse meio, onde cada um é por si, por suas vaidades e interesses pessoais.

A política hoje é vista como um trampolim para alcançar dinheiro e consequentemente poder.

São poucos os políticos que realmente se preocupam com uma administração pública voltada à população.

O político para se legitimar precisa do voto e para obtê-lo é capaz de peripécias mirabolantes, mas depois de legitimamo torna-se inacessível e oposto a tudo o que foi delineado em tempos de capanha.

Like
Madame Pink
Madame Pink
Mar 15
Replying to

Haja visto a descompensação, a falta de noção de alguns pré-candidatos à vereança da cidade. Fico aqui, confabulando com meus botões, qual a postura dessa gente se conseguir uma cadeira na câmara e, o mesmo, vale para os possíveis candidatos a prefeito?

Nas mãos de quem estará nossa cidade, que mesmo com os cofres cheios tem feito muitas estultícias, principalmente no nicho CULTURAL.

Like
bottom of page