top of page
1e9c13_a8a182fe303c43e98ca5270110ea0ff0_mv2.gif

Coluna Fatos e Versões com Rodrigo Silva Fernandes - 20/12/2023




Mudanças políticas agitam o tabuleiro eleitoral de 2024 
Conforme antecipou a coluna, ao longo deste ano houveram mudanças significativas em legendas como MDB, PDT, PL, PT, PSB, Solidariedade entre outros partidos que estão agitando os bastidores da política local. As últimas novidades ocorreram no Partido Progressista (PP) e PSDB. As informações que chegam é de que o ex-vereador Zacarias Piva teria assumido o comando do Partido Progressista em Varginha. A novidade causou espanto porque é sabido que tal mudança somente seria possível com a anuência do deputado federal Dimas Fabiano (PP). Todavia, acreditava-se que Dimas Fabiano e Zacarias Piva estavam rompidos politicamente, desde que Zacarias Piva deixou o PP e chegou a apoiar outro deputado federal na cidade, além de lançar-se candidato a prefeito de Varginha disputando contra Verdi Melo e Leonardo Ciacci, que na época, eram os nomes apoiados por Dimas Fabiano. Passado o tempo parece que Zacarias Piva e Dimas Fabiano teriam se reconciliado. Também não se sabe se Piva será mesmo candidato a prefeito em 2024, conforme havia anunciado no passado recente. Ocorre que, a conversa corrente no mundo político aponta que o PP de Dimas Fabiano teria fechado acordo com o Partido Verde do deputado Cleiton Oliveira para lançarem candidatura a prefeito de Varginha em 2024. Logo, se Zacarias Piva entrou no PP, é um sinal de que o suposto acordo de Dimas Fabiano e Cleiton Oliveira para as eleições de 2024 não vingou, ou de que Zacarias Piva não será mais candidato a prefeito em 2024? Ainda não sabemos qual das alternativas. 
 
Mudanças políticas agitam o tabuleiro eleitoral de 2024 - 02 
Já em relação ao PSDB de Varginha, as informações que chegam é de que teriam ocorrido mudanças na legenda é que o partido estaria agora alinhado com o deputado federal Dimas Fabiano (PP), portanto, acompanharia o PP nas eleições de 2024. A coluna conversou com o último candidato a prefeito pelo PSDB, o empresário Anderson Martins. O empresário disse que tem meses que a legenda não se reúne na cidade e que não tem conhecimento de mudanças substanciais no ninho tucano em Varginha. Para Anderson Martins, que é filiado ao PSDB e uma de suas principais lideranças populares, a legenda deveria apoiar o candidato apontado por Verdi Melo. Segundo Martins, o atual prefeito tem feito um bom trabalho e acredita que o nome governista escolhido por Verdi Melo tem condições de continuar o trabalho. Anderson Martins disse ainda que não será candidato a prefeito em 2024, mas não descarta disputar uma vaga no Legislativo. A coluna tentou entrar em contato com a presidente do PSDB na cidade, mas não teve sucesso. Será que Dimas Fabiano (PP) conseguiu garantir o apoio de mais uma legenda na cidade para construir uma forte candidatura de oposição ao candidato governista? O tempo dirá! 
 
Mudanças políticas agitam o tabuleiro eleitoral de 2024 - 03 
A coluna conversou com um aliado direto do deputado estadual Cleiton Oliveira (PV) sobre as mudanças ocorridas no Partido Progressista. O articulador disse que as mudanças no partido aliado não mudam os entendimentos tratados entre os parlamentares Cleiton Oliveira e Dimas Fabiano. Segundo a fonte da coluna, os parlamentares estarão juntos em 2024 apoiando uma candidatura de oposição ao governo municipal em Varginha. O nome que PV e PP vão oferecer para compor a chapa de oposição pode ocasionalmente mudar, mas a união de forças não. Trocando em miúdos, o aliado de Cleiton Oliveira disse que o Partido Progressista estuda a melhor opção para ser mais competitivo nas eleições municipais. Atualmente a vereadora Zilda Silva é cogitada para compor a chapa de oposição como candidata a vice-prefeita de Cleiton Oliveira. Todavia, uma mudança de última hora, poderia em tese, substituir Zilda Silva por Zacarias Piva na vice , o que fortaleceria a chapa visto que Piva teria “maior potencial eleitoral”. Além disso, a nova provável composição fortaleceria a chapa de vereadores pois Zilda Silva voltaria a disputar a Câmara, com uma reeleição praticamente certa. Difícil será para Zacarias Piva explicar aos seus eleitores a razão do retorno ao PP e reconciliação com Dimas Fabiano. Mas essa será a tarefa mais fácil que Piva terá junto ao seu eleitorado. Difícil mesmo, em caso de uma provável dobradinha entre Cleiton Oliveira (PV) e Zacarias Piva (agora novamente no PP), será explicar aos eleitores de Piva o motivo do político dividir o palanque com o PT, que vai fazer parte da base de apoio de Cleiton Oliveira. Piva e o Partido dos Trabalhadores – PT, sempre foram adversários políticos.     
 
ACIV: transição pacífica pode levar a governo de união 
A coluna conversou com o presidente da Associação Comercial Industrial e Agropecuária de Varginha - ACIV (gestão 2020 a 2023) Anderson Martins que falou sobre o legado deixado por sua gestão, bem como a expectativa da nova gestão que foi eleita na última segunda, 18/12, tendo como presidente o empresário André Yuki. Martins disse que deixa um legado com dezenas de projetos e ações realizadas na Aciv em seu governo e que espera que os bons projetos sejam mantidos. Na conversa com a Coluna, Anderson Martins mostrou-se sereno e confiante no setor comercial de Varginha. Disse que deseja sucesso a nova gestão liderada por André Yuki e que viu animação na equipe que chega. Para Anderson Martins as “diferenças acabaram e a transição será pacífica e ordeira”. Afinal são todos empresários, comerciantes e amigos que desejam o melhor para a instituição. A fala de Anderson Martins, aliada a empolgação dos integrantes do novo governo mostra que é possível construir união do comércio em torno de sua principal entidade, bem como fortalecer a participação dos comerciantes na Aciv. A posse da nova diretoria eleita deve ocorrer até final de janeiro, com início da gestão em fevereiro de 2024, contudo, o processo de posse pode ser antecipado a depender da gestão atual da Aciv, comandada por Anderson Martins. Vamos aguardar! 
 
O futuro da previdência pública 
Semana passada, o doutor em economia, Ricardo Sennes disse que a situação do Instituto Nacional de Seguridade Social - INSS vai estar insustentável daqui a dez anos, com o número de contribuintes (pagantes) diminuindo, e cada dia mais aumentando a quantidade de benefícios concedidos por conta do envelhecimento da população. Será uma espécie de apagão da Previdência Social do Brasil. O pior é que enquanto a previdência social dos trabalhadores da iniciativa privada vai afundando em prejuízos, os sistemas de previdência dos servidores públicos do Legislativo, Executivo e Judiciário, que são bancados pelos impostos de todos, batem recordes de pagamento de altos salários. São benefícios que superam o teto constitucional e premiam juízes/desembargadores, deputados estaduais e federais, senadores, promotores e procuradores de justiça, auditores fiscais e outras castas do serviço público, todos aposentados e que vivem sem saber o que é crise ou risco de perder rendimento em suas aposentadorias, visto que toda despesa é coberta pelos cofres públicos. Se vivêssemos num país sério, a conta da previdência no país deveria ser dividida com todos, tanto da iniciativa privada quanto do poder público. Ou seja, os lucros ou prejuízos partilhados por todos. Da forma como está hoje, a elite dos servidores públicos vive com altos ganhos e bancados pelos impostos que pagam os salários públicos e empurra para a iniciativa privada toda a conta. Isso vai dar problema no futuro próximo, bem próximo! 
 
Promessa e Prática: Tomara que a moda pegue
O prefeito de Betim, Vittorio Medioli, renunciou, mais uma vez, ao salário de chefe do Executivo municipal. O decreto que formaliza a decisão do mandatário para o ano de 2024, último de sua gestão, foi publicado na edição do dia 6 de dezembro do Órgão Oficial do município. A medida ratifica, pelo oitavo ano consecutivo - ou seja, desde que assumiu a Prefeitura de Betim, a conduta de preservar recursos públicos e cumprir promessa de campanha do gestor quando ainda era candidato. Conforme ressalta o decreto, a decisão do mandatário de renunciar ao subsídio do cargo, atualmente fixado em R$ 22.539,54, considera diversos fatores, dentre eles a queda brusca de transferências de receitas constitucionalmente garantidas a cidade; bem como o elevado gasto com saúde, tendo em vista, também, que União e Estado não estão suprindo a devida assistência médica aos cidadãos, encargos que foram assumidos pelo município. “Estamos caminhando para o fim de meu segundo mandato, tomando rumo para um futuro de grandes perspectivas, então aproveito o momento para ratificar esse cuidado, esse respeito com a máquina pública. Aproveito também para chamar a atenção de todos os meus colaboradores para que possamos aproveitar esse tempo que nos resta, completando nossa labor com a mesma humildade com que iniciamos, e com o esforço e comprometimento que sempre tivemos. Estamos transformando a realidade de nossa cidade em que cada um pode contribuir conforme suas possibilidades. É isso que venho fazendo e vou continuar até o último segundo de meu mandato”, assegura o prefeito Vittorio Medioli. Fica a dica para os próximos candidatos em Varginha. Afinal, prometer que não quer receber salário durante a campanha é fácil, mas efetivamente recusar o salário em favor dos cofres públicos é pra poucos! O prefeito de Betim economizou cerca de R$ 2.5 milhões de reais dos impostos municipais ao não receber os oito anos de salário. Em Varginha, o valor do salário do prefeito é bem próximo ao valor de Betim. No caso dos vereadores, o salário está em torno de R$ 8 mil mensais. Se um vereador abrir mão do salário pelo mandato de 4 anos, vai estar economizando para os cofres públicos municipais cerca de R$ 400 mil que poderão ser empregados em Saúde, Educação etc. Vamos comentar e replicar isso, vai que a moda pega em Varginha, não é mesmo? 
 
Estimulo econômico 
O Executivo de Varginha informou que a segunda parcela do 13º salário foi depositada na conta dos servidores públicos municipais da administração direta e indireta (fundações e autarquias), na última sexta-feira, 15 de dezembro. Isso significa R$ 5 milhões que serão injetados no comércio local, fomentando a economia e auxiliando os servidores neste final de ano. Lembrando que a primeira parcela do 13º Salário de 2023 foi depositada na folha de pagamento do mês de julho para servidores da administração direta e indireta (fundações e autarquias). O foco é aquecer a economia incentivando a geração de emprego e renda, o que realmente ocorre, pois boa parte deste recurso é gasto na própria cidade. No dia 15, também os aposentados e pensionistas do Inprev – Instituto dos Servidores Públicos do município de Varginha, receberam a segunda parcela do 13º salário. O alinhamento entre o Poder Executivo e o INPREV possibilitou a uniformidade dos procedimentos administrativos. Sendo comprovado pelo adiantamento financeiro realizado pela administração ao instituto, possibilitando cumprir o mesmo calendário de pagamentos da Prefeitura. A medida de antecipar o pagamento do 13º salário dos servidores públicos municipais é comum em Varginha e somente é possível porque o Executivo municipal tem recursos em caixa, fruto do trabalho de planejamento das gestões que administram a cidade, mas sobretudo porque Varginha arrecada muitos impostos. 
 
Sinalização turística 
Varginha começa a investir de verdade no turismo local. Depois do Memorial do ET, remodelação de parques, Zoológico, associado ao turismo de negócios que cresce na cidade, além das muitas opções de compras (Via Café Shopping) e eventos que foram retomados na cidade, o governo municipal viu que pode potencializar os gastos das milhares de pessoas que visitam Varginha mensalmente. No diário oficial de 14 de dezembro foi publicada a decisão da licitação – pregão presencial nº 295/2023 que tem por objeto a contratação de empresa especializada incluindo o fornecimento de mão de obra, materiais e disponibilização de equipamentos necessários para realização de instalação de sinalização turística no Município de Varginha. A licitação chegou ao fim e declarou vencedora no presente certame a empresa Mega Comércio e Sinalização de Obras Viárias Ltda, uma empresa local reconhecida pelo trabalho de sinalização, principalmente em rodovias. Contudo, mais importante que a qualidade do trabalho da empresa, que acredita-se ser de excelência, é preciso que exista um primoroso trabalho de planejamento da sinalização que será instalada. O que será informado, onde serão instaladas tais placas etc. Locais públicos importantes como estádios, UPA, hospitais, Parques, Zoológico, Aeroporto, Shopping, Centro de Eventos etc precisam ser lembrados nesta sinalização. Lembrando que este trabalho precisa ser constante e atualizado de tempos em tempos. Do contrário, será apenas mais um (alto) gasto paliativo que servirá temporariamente para “aparecer na foto”. Estamos de olho! 

Commentaires


bottom of page