top of page
1e9c13_a8a182fe303c43e98ca5270110ea0ff0_mv2.gif

Coluna Fatos e Versões com Rodrigo Silva Fernandes - 29/03/2024




Exportações do agro mineiro batem recorde no primeiro bimestre, café continua sendo o principal produto da pauta agrícola
As exportações do agronegócio mineiro alcançaram o valor recorde de US$ 2,1 bilhões, no primeiro bimestre deste ano, com aumento de 15% na receita em relação ao mesmo período de 2023. Esse resultado indica o melhor desempenho dos meses de janeiro e fevereiro acompanhados na série histórica desde 1997. O recorde no período também foi registrado em relação ao volume, com o embarque de 1,7 milhão de toneladas e aumento de 12% em relação ao bimestre anterior. O agro mineiro continua desempenhando um papel relevante na economia do estado. Nos dois primeiros meses do ano, as exportações do agro representaram 33% das vendas totais do estado para o mercado internacional. É o melhor resultado para o primeiro bimestre do ano, desde 1997, quando começou o acompanhamento da série histórica. A pauta foi liderada pelas vendas de café, que representaram 53% da receita total das exportações, complexo sucroalcooleiro (16%), carnes (10%), produtos florestais (8%) e complexo soja (7%). O café, principal item da pauta exportadora, alcançou a receita de US$ 1,1 bilhão, com o volume de 5,3 milhões de sacas exportadas. Os Estados Unidos, a Alemanha, a Bélgica, o Japão e a Itália continuam liderando as aquisições do café mineiro, enquanto a China emerge como um mercado promissor, na sexta posição com US$ 64 milhões em compras.

Confere e serpentina
No diário oficial de 21 de março foi publicado o resultado da licitação 232/2023 da Prefeitura de Varginha, com o registro de preços para o fornecimento de placas de aço. Tais placas são utilizadas para a inauguração de obras previstas para serem entregues nos próximos meses. Pelo volume e valores da compra, acredita-se que o governo esteja por demais confiante nas entregas das obras antes das eleições de 2024. Vale ressaltar que as principais e maiores obras estão a cargo de empresas privadas, que mesmo tendo cronograma de entrega, são afetadas com fatores externos como tempo, fornecimento de materiais, licenças ambientais, disponibilidade de mão de obra qualificada etc. Mas como em ano eleitoral “todos os esforços políticos são focados no resultado à população, quem sabe o trabalhar a toque de caixa surta algum resultado. Mas temos que saber se a fiscalização das obras também será realizada a toque de caixa”.

A última que morre
A coluna não vai falar aqui sobre a conturbada briga interna que acontece no Partido Liberal, tendo de um lado o empresário bolsonarista e vereador Dandan e de outro o vice-prefeito Leonardo Ciacci. Os dois disputam o comando da Comissão Provisória da legenda na cidade, com o foco em ser o candidato a prefeito pelo PL. Enquanto Ciacci promoveu um evento na cidade com a presença do deputado federal Marcelo Álvaro Antônio, o vereador Dandan vem conversando internamente com outras lideranças da legenda para ser o candidato da direita pelo PL. Pelo visto, o empresário e vereador está na liderança pela disputa partidária, embora Ciacci tenha passado muitos dias em Brasília na última semana tentando reverter a situação. Fato é que a disputa entre os dois precisa e tem prazo para acabar: 5 de abril. Até esta data é preciso que a Executiva Estadual do PL informe à Justiça Eleitoral quem responde pelo PL na cidade. Atualmente, no portal da Justiça Eleitoral consta que o PL em Varginha está inativo, mas uma nova comissão provisória pode (e vai) sair a qualquer momento. Entre Dandan e Ciacci parece não haver acordo, e quem for o novo comandante da legenda na cidade não aceita o outro de vice. Resumo da história, se continuarem brigando, aquele que perder a disputa corre o risco de não conseguir se filiar a outra legenda e levar sua equipe de apoio junto. Ou seja, se não tivermos uma solução rápida, Ciacci ou Dandan podem não ter tempo de sair do PL, juntamente com seus apoiadores e encontrar outra legenda para disputar eleição. Dandan já teria 16 pré-candidatos a vereador, Ciacci já teria apoio de boa parte da base que hoje apoia Verdi Melo. Para ambos os pré-candidatos, a esperança é a última que morre, mas é bom ficar atento, se não o tempo passa e morre também a chance de disputar! A conferir

Pragas: Dengue x Covid
A epidemia de Dengue que tem assolado o Brasil com diversos contaminados, inclusive em Varginha, está sendo um problema crônico para o governo. O próprio prefeito Vérdi Melo está coordenando as ações principais do governo. O Hospital da Criança, ainda não inaugurado, está funcionando como hospital de campanha para atender os doentes de dengue. Uma força tarefa na cidade tem promovido o “fumacê” para acabar com o mosquito e a população tem sido conscientizada dos riscos da água parada e necessidade de limpeza na cidade para acabar com os criadouros. Contudo, é impossível não comparar a situação vivida na cidade durante a pandemia de Covid e agora com a Dengue. Na pandemia do Covid, estávamos diante de uma doença desconhecida, sem vacina ou tratamento conhecido e confiável, faltavam insumos básicos como álcool gel e máscaras. Agora no caso da Dengue, uma doença com tratamento conhecido da população (e dos governos) fica claro que falta a Varginha e todo o Brasil planejamento de saúde e entrosamento entre as esferas de governo e, principalmente, conscientização da população. O mosquito da dengue não procria se não houver sujeira pelas ruas e água parada, ou seja, está faltando a população jogar o lixo no lixo, bem como o governo melhorar a limpeza urbana. Já com relação à água parada cabe, principalmente aos governos, melhorar o saneamento básico, cuja falta é também a razão de diversas outras doenças. Bem como a população cooperar fazendo sua parte. No caso do governo municipal, o prefeito Vérdi Melo, praticamente entra para história, por ter enfrentado duas “pragas: a primeira uma pandemia desconhecida, a segunda o desleixo e falta de compromisso da população e entrosamento dos governos estadual e federal”. Em ambas as pragas, Verdi Melo tem se notabilizado pela liderança local e galhardia para enfrentar o problema.

Indústria da multa?
No diário oficial de 21 de março foi publicada a portaria 017/2024 que dispõe sobre a certificação do curso de agente de trânsito da Guarda Civil Municipal de Varginha. O curso, ministrado pelo Centro de Formação, Treinamento e Aperfeiçoamento de Agentes da Guarda Civil de Varginha é indispensável para que os integrantes da Guarda que executem as atividades de fiscalização, operação, policiamento ostensivo de trânsito ou patrulhamento nos órgãos integrantes do Sistema Nacional de Trânsito. O Centro de Formação da Guarda Municipal de Varginha acaba de formar e vai certificar uma nova turma de agentes depois de 242 horas de aulas de capacitação. Com isso teremos em breve diversos integrantes da tropa que estarão pelas ruas de Varginha fazendo a fiscalização do trânsito, aplicando multas e orientando motoristas, pedestres, ciclistas etc. Vale lembrar que já estamos com uma empresa concessionária operando a Área Azul, que gerencia as vagas de estacionamento no centro comercial da cidade. A empresa vem “apanhando e sofrendo críticas” mas com a chegada da nova tropa de agentes, é bem provável que a situação melhore. Mas como o brasileiro é desconfiado e os governos costumam dar motivo para tal. Há quem diga que, com a chegada de diversos agentes de trânsito nas ruas, o risco da criação de uma “indústria de multas é grande”. Vamos aguardar, o tempo dirá!

Bolsa de apostas
No mercado político local tem crescido o número de “puxadas de tapetes e golpes de grupos políticos na disputa de legendas e apoio de lideranças populares na cidade”. Com isso “brotam pelos botecos e rodas de conversas” as apostas neste ou naquele caminho das muitas lideranças que buscam espaço para se candidatar em 2024. Quem serão os candidatos? Quem será eleito? Qual o vereador mais votado? E muitas outras curiosidades da política local, que já se tornou um “big brother” para muita gente, que logo pela manhã vai sondar o portal da Justiça Eleitoral ou mesmo ligar para articuladores políticos para saber como anda esta ou aquela candidatura. Embora ainda não exista nenhuma candidatura formal na cidade, tendo em vista que os partidos não concluíram a escolha definitiva dos nomes e nem a Justiça Eleitoral homologou chapas, já é conversa corrente pela cidade que muitos pré-candidatos já trabalham apoios e, reservadamente, já pedem votos! Aliás, este tipo de irregularidade sempre aconteceu nas barbas da Justiça Eleitoral e do Ministério Público, que costumam agir somente depois de provocados e de forma “remediativa e não preventiva”. A coluna, inclusive, já fez uma aposta de que até dia 05 de abril, haverá muita mudança de legenda entre os principais  candidatos, bem como o fechamento de dobradinhas inesperadas pela frente. E não custa dizer que dependendo de quem fizer a aposta, tem que pegar o compromisso assumido por escrito, afinal, estamos falando de políticos! Não é mesmo!?

O efeito Juliano Rodrigues
Os acontecimentos recentes da política local ensejam o imaginário de muitas pessoas com a seguinte indagação: Já pensou se tivéssemos algum “Juliano Rodrigues atuando na política local?” Certamente as redes sociais estariam “bombando muito mais” na cidade. E olha que vira e mexe recebemos algum vídeo (obviamente sem identificação do autor) contanto algum desaforo ou peripécia de algum pré candidato. Tais vídeos estão circulando pelas redes sociais e cada dia mais apimentados, com notícias falsas, calúnias e toda sorte de ofensas gratuitas. Não ouso dizer que são materiais produzidos apenas por “concorrentes políticos”, afinal, não tem melhor momento para bater e ofender um desafeto do que no período eleitoral, ainda mais de este desafeto for candidato. Pois neste caso, são tantos os possíveis responsáveis pelas ofensas que dificilmente se localiza o responsável pelo mal feito”. Uma pena que a Justiça Eleitoral está esperando a homologação das candidaturas para começar a trabalhar no combate a notícias falsas. É bem possível que, quando resolverem trabalhar, Ministério Público e Justiça Eleitoral não consigam atender todos os casos! A conferir!

O apoio de Zema
Enquanto se consolidam os candidatos locais ao Executivo municipal, nos bastidores o governador Zema escolhe quem vai ou precisa apoiar nas principais cidades de Minas. Por hora é certo que, em Varginha, ninguém ainda tem garantido o apoio do governador mais bem avaliado de todos os tempos! E Zema é realmente um ótimo cabo eleitoral, pode trazer muitos votos e apoios para quem contar com seu apoio formal. O Partido Novo não terá candidato majoritário na cidade, mas entre as lideranças locais do Novo há torcida para o professor Stefano Gazzola, pré-candidato do MDB e para o vice-prefeito Leonardo Ciacci (por enquanto, no PL). E ainda pode haver interesse de lideranças do Novo em apoiar a recente possibilidade da candidatura do vereador Dandan, se este realmente for “ungido como candidato bolsonarista local”, o que pode ocorrer nos próximos dias. A única certeza no Partido Novo de Varginha é que todos da legenda estarão contra a candidatura do PV/PT/PCdoB liderada pelo deputado estadual Cleiton Oliveira (PV).

Apoio de Bolsonaro
O ex-presidente Jair Bolsonaro, embora não esteja no poder, é um dos maiores cabos eleitorais do Brasil e vai percorrer o país apoiando e construindo apoios entre os prefeitos que serão eleitos nas eleições de 2024. O candidato natural de Bolsonaro em cada cidade, em tese, seria o candidato do Partido Liberal (mesmo partido de Bolsonaro). Mas a equação política não é tão simples porque o ex-presidente está escolhido a dedo a cidade onde vai entrar na disputa e escolher um lado. Varginha por ser uma cidade polo e possuir muitos apoiadores bolsonaristas (o ex-presidente venceu Lula na cidade em 2022) e ainda possuir um horário eleitoral que é retransmitido para todo Sul de Minas, é bem possível que exista interesse de Bolsonaro em vir. Contudo, o ex-presidente tem ouvido sua base aliada na região para tomar a decisão. Ou seja, vai ouvir legendas como o PSD, PP e outras que ainda dão sustentação ao ex-presidente. Traduzindo em miúdos, não sabemos se Bolsonaro vem a Varginha nas eleições de 2024, mas se vier, os deputados federais Diego Andrade (PSD) e Dimas Fabiano (PP) serão os primeiros a saber e serem consultados.

Comments


bottom of page