top of page
1e9c13_a8a182fe303c43e98ca5270110ea0ff0_mv2.gif

Críticas ao Governo pela Demissão de Neri Geller e Gestão da Conab

O deputado Pedro Lupion (PP-PR), presidente da Frente Parlamentar da Agropecuária (FPA), criticou severamente a decisão do governo federal de demitir o secretário de Política Agrária do Ministério da Agricultura e Pecuária, Neri Geller, após o cancelamento do leilão de compra de arroz. Lupion sugeriu que a demissão serviu para proteger o presidente da Companhia Nacional de Abastecimento (Conab), Edegar Pretto, membro do PT.

Contexto da Demissão e Cancelamento do Leilão
A Conab anulou o leilão para a compra de arroz devido a suspeitas de irregularidades. Entre os vencedores do certame estavam empresas sem histórico no ramo agropecuário, como um minimercado, uma fabricante de sorvete e uma locadora de carros. Lupion argumentou que a demissão de Geller, um filiado ao PP, foi uma estratégia para poupar Pretto e evitar desgaste político para o PT.
Declarações de Pedro Lupion

Durante a sessão da Comissão de Agricultura da Câmara dos Deputados, Lupion afirmou: “Deram a cabeça do secretário Neri Geller de presente para salvar o PT. Para que não houvesse nenhum desgaste do próprio Edegar Pretto. Essa que é a grande realidade que estão tapando o sol com a peneira.”

Ele também expressou preocupação sobre a possibilidade de um novo leilão, apontando que os mesmos problemas podem se repetir: “Já estão falando em fazer um novo leilão. Mais uma vez, vai ter falcatrua por aí.”

Lupion criticou a alocação de recursos para a compra de arroz, sugerindo que o valor poderia ser melhor empregado: “Leilão só vai servir para desregular o mercado de arroz do país e desincentivar os produtores rurais. Os R$ 7 bilhões que querem utilizar para comprar esse arroz dá para financiar 5 milhões de hectares de plantio de arroz. É uma loucura.”

Impacto e Repercussão
A demissão de Neri Geller e as críticas de Lupion destacam tensões dentro do setor agropecuário e a gestão de políticas públicas. A anulação do leilão e as acusações de irregularidades levantam questões sobre a transparência e a eficácia das ações do governo. Além disso, a alocação de recursos e a gestão das importações de alimentos são temas críticos que afetam diretamente a confiança dos produtores rurais e a estabilidade do mercado.
Fonte: Revista Oeste

Comentarios


bottom of page