top of page
1e9c13_a8a182fe303c43e98ca5270110ea0ff0_mv2.gif

Dólar vai a R$ 5,65 no Governo Lula e renova nova máxima desde 2022

O dólar subiu firme contra o real nesta segunda-feira (1º) e voltou a renovar as máximas desde janeiro de 2022, com o cenário fiscal pressionando o humor dos investidores e contrariando o cenário de estabilidade da divisa norte-americana ante a cesta de moedas fortes. O movimento dá seguimento à alta vista no primeiro semestre, período em que o dólar subiu 15% ante a divisa brasileira.
A moeda dos EUA encerrou a primeira sessão de julho com alta de 1,13%, negociada a R$ 5,653 na venda, o maior valor desde 10 de janeiro, quando foi a R$ 5,672.
O Ibovespa também fechou a primeira sessão do segundo semestre em alta, com avanço de 0,65%, na faixa dos 124.718 mil pontos, apoiado por Vale (VALE3) e Petrobras (PETR4) em dia de alta de commodities. Também entre as altas, SLC Agrícola saltou mais de 6% após análise mostrar valorização de suas terras entre 2023 e 2024. Na ponta oposta, destaque negativo para ações de varejo e construção civil, setores mais sensíveis ao avanço dos juros.
Pela manhã, destaque para o relatório Focus, que indicou que a projeção mediana do mercado para a inflação em 2024 passou de 3,98% para 4% e em 2025 de 3,85% para 3,87%. Em ambos os casos, as expectativas estão se distanciando do centro da meta contínua de 3% para a inflação. Além disso, as projeções do Focus mostraram que o país seguirá com déficit primário pelo menos até 2027 — já após o atual governo Lula.
Os economistas ainda veem o dólar fechando em um valor mais alto, a R$ 5,20, ante R$ 5,15 na semana passada.
No cenário externo, os mercados se movimentavam com base no resultado do primeiro turno da eleição parlamentar na França. Apesar da extrema-direita conquistar o maior número de votos, a vitória foi vista como abaixo do esperado, levantando expectativas de uma disputa pelo cargo de primeiro-ministro no país. Fonte:CNN

Comments


bottom of page