top of page
1e9c13_a8a182fe303c43e98ca5270110ea0ff0_mv2.gif

Demissões no setor tecnológico geram instabilidade


Divulgação

Nos últimos meses, empresas de destaque no setor tecnológico, como Google, Meta (Facebook, Instagram e WhatsApp), Microsoft e Amazon, têm dispensado profissionais em números significativos. Essas demissões em massa têm abalado o cenário tecnológico, gerando instabilidade e incerteza nas organizações, o que, por sua vez, impacta tanto a produtividade quanto o bem-estar dos colaboradores. De acordo com um levantamento do jornal norte-americano The New York Times, aproximadamente 260 mil postos de trabalho foram afetados por essa onda de demissões somente no último ano.

A constante turbulência causada pelas demissões nas empresas de tecnologia tem sido comparada a uma "vida no liquidificador", caracterizada por um ambiente de incerteza e perturbação contínuas. Esses cortes, conforme reportado pelo portal R7..com, atingiram em cheio as grandes empresas de tecnologia mencionadas anteriormente, desde o início de 2023.

Eventos como mudanças organizacionais, fusões e reestruturações são recorrentes e afetam consideravelmente a estabilidade e a produtividade dos colaboradores, criando um ambiente de trabalho desafiador e imprevisível.
Entretanto, é importante questionar se demissões em massa realmente se traduzem em redução de custos.

Estudos indicam que, na maioria das vezes, essas demissões não resultam em economias significativas, aumento da produtividade ou resolução efetiva dos problemas das empresas. A instabilidade gerada por reorganizações frequentes e mudanças abruptas tem um impacto direto no desempenho e na motivação dos colaboradores, conforme destacam especialistas consultados pelo The New York Times.
Fonte: Revista Oeste

コメント


bottom of page