top of page
1e9c13_a8a182fe303c43e98ca5270110ea0ff0_mv2.gif

Eleições ACIV: Chapa Confiança, Inovação e Ação vence por aclamação, liderada por André Yuki





Nesta última segunda-feira (18/12), foram realizadas as eleições para a nova diretoria e conselho fiscal da Associação Comercial, Industrial, Agropecuária e Serviços de Varginha (ACIV). A nova chapa eleita, que exercerá o quadriênio administrativo 2024/2027, venceu por aclamação, sendo chapa única.

“Uma Nova ACIV: Confiança, Inovação e Ação - CIA”, tem como presidente, André Yuki e vice-presidente, Elisete Ribeiro. Sua diretoria é formada por líderes empresariais renomados em cada setor, trazendo suas vastas experiências e conhecimentos, como Marquinho (Calhas São Marcos), Andreise Homero (Essencialle Presentes), Altemir Sutério (Protense), Edilson Rabelo (Curta Metragem), Elaine Quintiliano (Sakey Comunicação), Akio Nishikawa (Vedasul Vedações), Rodrigo Soares (IpHosting), Bruno Freitas (Elóy Calçados), Nelson Kenso (Clube Campestre), Felipe Flausino (Grupo Unis), Valéria Aparecida Silva (Magia Boutique), Carlos Jardim (Clínica Avet), Márcia Souza (Terra Brasil Negócios) e José Edgard Pinto Paiva (Fundação Procafé).

Essa será a primeira vez que um nikkei, descendente de japonês, assumirá a presidência da ACIV, que completará 100 anos em abril.
De acordo com André Yuki, assumir a ACIV será um trabalho árduo, com muito empenho, dedicação, habilidades de gestão, inovação e ação para alcançar os objetivos.

Essa gestão assumirá com 3% a menos de associados e um caixa enxuto, exigindo assim um planejamento financeiro estratégico, aumentando o capital de associados, identificando oportunidades de captação de recursos, como parcerias, buscando por patrocínios e realizações de eventos que possam atrair investidores.

“Para aumentar o número de associados é necessário desenvolver ações de divulgação e marketing e oferecer benefícios exclusivos para os associados, como vantagens financeiras em produtos e serviços, acesso a cursos e capacitações. A equipe irá criar e buscar novos serviços e parcerias, além de melhorar os já existentes”, ressaltou André Yuki.

Além disso, serão identificadas as demandas do setor com pesquisas, desenvolvendo soluções e ações, deixando de lado o achismo e estabelecendo parcerias estratégicas com outras instituições e entidades, podendo trazer benefícios para ambas as partes.

O “Sistema S” (Sebrae, Sesc, Senac, Senar), as federações e as universidades serão fundamentais para a nova ACIV, para captação de mão de obra qualificada, primeiro emprego, capacitação e treinamento.

A nova gestão irá priorizar uma aproximação com os sindicatos patronais, onde definem os salários dos funcionários do comércio, as cargas horárias e principalmente que defendem os direitos dos empresários, sem denegrir o direito do trabalhador.

André Yuki explica que a ACIV Mulher é um braço fundamental da ACIV, para dar voz e visibilidade aos problemas específicos enfrentados pelas mulheres. “Juntos, podemos identificar e combater as discriminações de gênero, assédios, violência contra as mulheres e promover cursos, workshops e palestras de capacitação e empreendedorismo feminino. Gostaria de parabenizar a amiga e empresária Elisete, que será a primeira vice-presidente mulher da ACIV e nossas diretoras por aceitarem esse desafio”, parabenizou.

Para Elisete, ser a primeira empreendedora vice-presidente mulher da ACIV, uma associação comercial centenária, é uma conquista significativa, marcando não apenas um avanço pessoal, mas também um passo crucial rumo à igualdade de gênero no mundo dos negócios.

“Essa posição não apenas representa a quebra de barreiras, mas também inspira outras mulheres a assumirem lideranças em ambientes historicamente dominados por homens. Ao ocupar essa função na nova diretoria, estarei contribuindo de forma voluntária e ideológica para o fortalecimento do comercio e para uma mudança cultural, promovendo a diversidade e demonstrando que o talento e a competência não têm gênero”, destacou.

Por fim, André Yuki explicou que buscar uma representatividade política forte será indispensável para trazer melhorias ao setor. “Isso envolve participar de fóruns, debater políticas públicas e ser uma voz ativa na defesa dos interesses dos associados. Também é preciso estabelecer relações com líderes políticos e influenciadores locais, para pleitear as mudanças necessárias para o desenvolvimento do setor”, disse.

Para André, a entidade deve ser política e apartidária, e nunca deverá ser utilizada como trampolim político. “E essa será a nossa primeira missão, alterar o estatuto, onde um membro da diretoria ou do conselho, caso participe de uma eleição ou assuma um cargo de confiança, deverá ‘desligar’ do cargo e ‘não só se afastar’ por ética”, explicou.

O objetivo do grupo é buscar aumentar o capital, o número de associados e novos serviços e parcerias, além de uma representatividade política forte, em um desafio complexo, mas recompensador.

“Com planejamento estratégico, habilidades de gestão e engajamento, é possível alcançar êxito nessa empreitada e contribuir para o crescimento e desenvolvimento do setor. Principalmente com essa equipe de diretores e conselheiros de peso, com bagagens profissionais e muita experiência.
Quero agradecer aos outros empresários que ajudaram articular essa diretoria ou deixaram o seu nome à disposição e toda a imprensa”, concluiu.

Commentaires


bottom of page