top of page
1e9c13_a8a182fe303c43e98ca5270110ea0ff0_mv2.gif

'Em choque', brasileira vive em cidade na Islândia perto de vulcão que entrou em erupção; VÍDEO

Com nervosismo, bom humor e gravidez de nove meses, Jéssica Costa relata nas redes sociais a apreensão com erupção vulcânica.


Jéssica explica que, até então, o vulcão não representava um risco para as pessoas, era tido como um "vulcão turístico" Foto: Reprodução/Instagram/@jecacostaa

Aos nove meses de gravidez, a chef de cozinha brasileira Jéssica Costa acompanha com apreensão a erupção de um vulcão na região de Grindavik, na Islândia, onde mora há 4 anos.

Ela e todos os outros habitantes da cidade foram obrigados a sair do local em novembro deste ano, quando a região chegou a ter mais de mil terremotos por dia.

"Estou em choque. A gente não sabe onde que é exatamente. Só sabe que é gigante", relatou a brasileira na noite desta segunda-feira (18), por meio de stories no Instagram, pouco após o vulcão entrar em erupção.

Apesar do perigo, a brasileira também mostrou bom humor para lidar com a situação. "O pessoal me perguntando aqui se o bebê vai nascer. O único bebê que vai nascer agora é a diarreia que vai me dar de nervosismo (risos)", brincou, enquanto falava da erupção.

Veja vídeo da erupção



TV estatal da Islândia mostra erupção de vulcão perto da cidade de Grindavik

Expectativa positiva


Na manhã desta terça-feira (19), Jéssica afirmou que a lava não é forte o suficiente para atingir a sua casa --que está na área interditada. "Nossa casa continua e vai ficar de pé!", escreveu, em uma nova publicação.

Por enquanto, a expectativas de especialistas e autoridades locais vai no mesmo sentido, segundo informou a agência Reuters: a erupção não deve atingir a cidade de Grindavik e há esperança de que casas sejam preservadas.

Enquanto isso, Jéssica aguarda o desfecho e o nascimento de seu bebê abrigada na capital da Islândia, Reykjavik.

A Islândia é uma país com uma população de apenas 375 mil habitantes, acostumados a erupções e terremotos.

Esses fenômenos acontecem com frequência no local porque a Islândia é uma ilha que fixa exatamente entre duas placas tectônicas que se afastam lentamente o tempo todo.

FONTE:G1

Comentários


bottom of page