top of page
1e9c13_a8a182fe303c43e98ca5270110ea0ff0_mv2.gif

Empresário de MG perde R$ 8 milhões em golpe de aluguel de máquinas agrícolas

Um grupo de supostos clientes o procuraram para fazer um contrato de aluguel de maquinário. No entanto, ele descobriu que o material havia sido furtado e estava sendo levado para outros estados do Brasil.


Máquinas agrícolas foram furtadas em Belo Horizonte — Foto: Polícia Civil/Divulgação

Um empresário de Belo Horizonte perdeu pelo menos R$ 8 milhões em um golpe de locação de máquinas agrícolas.

De acordo com a Polícia Civil, uma organização criminosa se apresentava como locadores de tratores, retroescavadeiras e outras máquinas, e furtava o material do proprietário. A vítima denunciou o crime em maio deste ano.
O homem afirmou que um grupo de supostos clientes o procuraram para fazer um contrato de aluguel. No entanto, dias depois, ele descobriu que o material havia sido furtado e estava sendo levado para outros estados do Brasil. As máquinas eram descaracterizadas e revendidas. O empresário só ficou ciente do furto quando um terceirizado, que fazia o frete das máquinas, avisou que duas máquinas estava sendo levadas para um estado que não estava no planejamento de viagem.
"Um dos fretadores já conhecia a vítima, por trabalharem juntos há muito tempo, ele estava carregando [o material] para Goiás, e percebeu que a máquina estava descaracterizada, mas reconheceu que pertencia à empresa de BH. Ele achou estranho e falou com a pessoa responsável pela logística", disse o delegado da Polícia Civil Gustavo Barletta de Almeida.
A vítima conseguiu salvar duas máquinas, mas outras três já haviam sido furtadas anteriormente. O prejuízo com o maquinário foi de R$ 8 milhões.
Ainda segundo os investigadores, existem três linhas de investigação em andamento:

  • Os criminosos usavam o maquinário como moeda de troca para compra e pagamento de drogas na Bolívia e Paraguai – já que os suspeitos têm passagens por tráfico internacional de drogas;

  • O grupo trabalhava com a descaracterização do maquinário roubado e vendia o material furtado em outros países;

  • As máquinas roubadas eram descaracterizadas no Paraguai e retornavam ao Brasil para serem revendidas.

Os policiais prenderam três pessoas em Frutal, na Região do Triângulo Mineiro, e mais um suspeito de Ituiutaba, na mesma região, está foragido.

FONTE:G1


Comments


bottom of page