top of page
1e9c13_a8a182fe303c43e98ca5270110ea0ff0_mv2.gif

Endividamento das Famílias Brasileiras Atinge 28,8% em Junho, Revela CNC

O percentual de famílias brasileiras com dívidas em atraso aumentou para 28,8% em junho, uma alta de 0,2 ponto percentual em comparação com maio, segundo dados divulgados pela Confederação Nacional do Comércio de Bens, Serviços e Turismo (CNC) nesta quinta-feira (4).
O levantamento também revelou que junho teve o maior número de famílias com dívidas em atraso por mais de 90 dias, atingindo uma taxa de 47,6%, um aumento de 0,3 ponto percentual em relação ao mês anterior. Enquanto isso, o percentual de brasileiros endividados permaneceu estável em 78,8%, o mesmo registrado no mês anterior.
O número de endividados poderia ter sido menor se não fosse pelos impactos da tragédia climática no Rio Grande do Sul. Sem os dados do estado, o endividamento teria recuado para 78,4%. A pesquisa também mostrou uma melhora no perfil do crédito, com uma diminuição de 0,6 ponto percentual no número de famílias que se consideram "muito endividadas", totalizando 17,2%. Em contrapartida, a parcela de famílias que se identifica como "pouco endividada" aumentou 0,6 ponto percentual, chegando a 33,7%.
O cartão de crédito continua a ser a principal forma de endividamento, sendo usado por 86,4% dos devedores em junho. Apesar do número elevado, houve uma redução de 0,5 ponto percentual em comparação com maio e uma queda de 0,6 ponto percentual em relação a junho de 2023. As modalidades de carnê e cheque especial também seguiram em queda na representatividade da carteira de crédito dos consumidores, com uma redução de 0,4 ponto percentual em ambos os casos em comparação com o ano passado.
Além disso, a pesquisa apontou que o mercado de crédito com juros mais acessíveis contribuiu para o crescimento do financiamento imobiliário, que registrou um aumento anual de 1,5 ponto percentual. Fonte:CNN

Comments


bottom of page