top of page
1e9c13_a8a182fe303c43e98ca5270110ea0ff0_mv2.gif

Entenda os critérios para definição dos nomes das rodovias estaduais e federais


Divulgação


Para não se perder no emaranhado de caminhos que atravessam todas as regiões do país, compreender a nomenclatura das rodovias é fundamental para que o viajante chegue a seu destino da melhor maneira possível.

Os critérios são definidos pelo Plano Nacional de Viação (PNV) e tem o objetivo de orientar os motoristas que circulam pelas estradas de Minas e do Brasil.

As MGs são as vias estaduais em Minas e as BRs são federais. As iniciais sempre vêm acompanhadas de mais três algarismos, como MG-010, por exemplo, ou BR-135.

O primeiro algarismo indica o tipo da rodovia - radiais, longitudinais, transversais, diagonais e de ligações - e os dois seguintes definem a posição no país ou Estado.
A descrição a seguir ajuda a explicar como funciona a definição da nomenclatura, lembrando que o primeiro algarismo indica a categoria da rodovia.
0 - Rodovias radiais: são aquelas que partem das capitais em direção aos extremos do território. Os demais algarismos variam no sentido horário. Exemplos: BR-040 (início na capital do país, Brasília) e MG-010 (início na capital de Minas Gerais, Belo Horizonte).

1 - Rodovias longitudinais: o sentido de quilometragem vai do norte para o sul. Nos algarismos restantes variam de 00 a 99. O número de uma rodovia longitudinal é obtido por interpolação entre 00 e 50, se a rodovia estiver a leste da capital, entre 50 e 99, se estiver a oeste. Exemplos: BR-116 (federal), MG-129 (estadual)
2 - Rodovias transversais: são as rodovias que cortam o país na direção Leste-Oeste Exemplos: BR-265 (federal), MG-285 (no âmbito estadual)
3 - Rodovias diagonais: direções noroeste-sudeste ou nordeste-sudoeste. Exemplos: BR-383, MG-353
4 - Ligações: são as estradas que unem duas rodovias federais entre si, ou uma rodovia a alguma localidade próxima, ou às fronteiras internacionais, ou, ainda, que não possam ser classificadas em nenhum dos outros tipos. Exemplos: BR-491, MG-425
5 - Ligações (contornos construídos para tirar o trânsito de veículos pesados de dentro de cidades). Exemplos: LMG-502, LMG-503
6, 7 ou 8 - Ligações a municípios e conectam duas rodovias importantes –federais ou estaduais. Exemplos: LMG-610, LMG-701, LMG-806
9 - Acessos a alguma cidade ou ponto específico. Ex: AMG-900

O engenheiro do Departamento de Edificações e Estradas de Rodagem de Minas Gerais (DER-MG), Diogo Amaral, gestor do Sistema Rodoviário Estadual (SRE), explica que os cadastros de malhas rodoviárias abrangem as rodovias estaduais e federais de cada unidade da federação.

“O DER atualiza sua malha rodoviária de forma contínua. Assim, sempre que identificado alguma divergência, o acerto é realizado a cada nova versão do sistema. Nossa missão é agrupar todos os trechos rodoviários, sejam eles conservados pelo estado, pela União ou trechos concedidos à iniciativa privada”, explica.

Comments


bottom of page