top of page
1e9c13_a8a182fe303c43e98ca5270110ea0ff0_mv2.gif

Gastos extras e imposto podem aumentar o preço do imóvel em até 10%


Reprodução

Com a queda da taxa de juros, a compra de imóveis volta a ser uma alternativa no radar dos brasileiros. Segundo o Censo QuintoAndar de Moradia, feito em parceria com o Datafolha, 57% das pessoas que pretendem se mudar querem comprar um imóvel, porém somente 45% dos que têm esse desejo possuem um planejamento financeiro para realizar este sonho.
Para alertar sobre eventuais custos que envolvem o processo além do valor do imóvel, o diretor de crédito do QuintoAndar, Jonas Marchetti, listou os principais pontos para estar atento e como se planejar.
“Na compra de um imóvel, além do valor que você paga pelo bem, sempre há despesas extras envolvidas, como taxas e cartório. Geralmente, esse excedente pode girar em torno de 4% a 10% do valor do imóvel - depende de algumas variáveis, como se o imóvel será comprado à vista ou financiado, e também se o imóvel é o primeiro adquirido da pessoa ou não, pois há possibilidade de alguns descontos. A pessoa compradora deve estar atenta a estes custos adicionais e buscar informações completas a respeito", explica Marchetti.
“A realização do sonho da casa própria em si já demanda uma boa disciplina financeira, e é importante que esse planejamento envolva algum valor a mais para que o comprador não se veja em apuros”, afirma.
Além dos custos já conhecidos do financiamento, como os juros, existem as cobranças feitas pelo cartório para documentação, registros, escritura e o famoso Imposto sobre Transmissão de Bens Imóveis (ITBI).
Esses custos podem variar de acordo com o tipo de financiamento imobiliário, instituição financeira e as condições impostas no contrato de solicitação de crédito. Apesar de serem custos variáveis, eles podem ser previamente calculados.
“A plataforma do QuintoAndar busca antecipar todas as estimativas destes custos, que são discriminados desde o anúncio dos imóveis, porém é necessário que o comprador acompanhe toda a jornada, se planeje financeiramente e esteja ciente de gastos adicionais no processo, bem como de eventual alteração nos custos estimados”, explica Jonas.
Além disso, o especialista cita gastos que são primordiais ao adquirir um imóvel, tanto financiado quanto à vista. Abaixo, seguem mais informações gerais sobre eles.

Seguro do imóvel
A realização do seguro garante a indenização por eventuais prejuízos que o comprador possa sofrer em razão de determinados problemas que venham a ocorrer no imóvel, conforme as condições do seguro contratado, trazendo-lhe mais segurança a longo prazo.
O valor do seguro é sempre proporcional ao valor total da quantia que foi financiado, ou seja, ele não tem um valor fixo, pois vai depender de quanto você vai financiar - pode considerar um percentual em torno de 2,5% a 5% do valor do financiamento.

ITBI
O Imposto de Transmissão de Bens Imóveis (ITBI) é uma tributação gerada e cobrada pelo município onde o imóvel está localizado no momento de uma transação de compra e venda.
“O valor dele varia de cidade para cidade, mas normalmente fica entre 2% e 4% do valor do bem e deve ser conferido pelo comprador,” diz Jonas. Em Belo Horizonte, a alíquota do ITBI é de 3%.

Escritura Pública
A escritura de imóvel é outro valor extra que deve entrar nos custos de comprar um imóvel. É o documento que comprova a transferência do imóvel de um proprietário para o outro. Só vai ser necessária no caso de compra à vista, uma vez que, na compra financiada, o contrato de financiamento bancário equivale à escritura.
O valor da escritura pública é tabelado - variando de acordo com o Estado e valor do imóvel. O valor pode ser consultado na internet ou diretamente no cartório.

Registro
O registro é dividido em dois documentos: Escritura Pública de Compra e Venda (em caso de compra à vista, como indicado acima) ou Contrato de Financiamento do imóvel (em compra financiada). Com esses documentos em mãos e o comprovante do pagamento do ITBI, o registro do imóvel poderá ser feito.
O valor varia de acordo com o Estado onde o imóvel está localizado - a taxa extra costuma ficar abaixo de 1% do total do bem.

Avaliação Bancária
É um processo realizado pelos bancos, nos casos de imóveis comprados por financiamento, referente à vistoria do bem e de toda a documentação necessária para liberação do crédito imobiliário.
“A taxa de avaliação do imóvel é obrigatória e não pode ser parcelada, há variação de valor de acordo com cada banco, então é importante ter esse valor à vista ao dar entrada no financiamento”, completa Marchetti

Reformas
É necessário se preparar financeiramente para eventuais gastos com reformas, mudanças e outras questões mais práticas em relação à moradia na sua casa nova.
“Na etapa de reforma, gastos implícitos com a compra de um imóvel são os de preparação do seu novo lar. Planeje todos esses custos, coloque tudo isso no papel e faça as contas para não se endividar”, diz o diretor de crédito do QuintoAndar.
Fonte: O Tempo

Comments


bottom of page