top of page
1e9c13_a8a182fe303c43e98ca5270110ea0ff0_mv2.gif

Homem é preso por sequestrar o próprio filho e exigir R$ 5 mil para devolver bebê para a mãe em MG

Polícia encontrou o suspeito e a criança, seu filho, com a fralda suja e em condições de higiene ‘deploráveis’


FOTO: Divulgação/Polícia Civil de Minas Gerais
A Polícia Civil de Minas Gerais tornou público, nesta segunda-feira (19), os pormenores de um caso que culminou na detenção de um indivíduo de 32 anos. O mesmo é acusado de sequestrar o próprio filho, um infante de apenas um ano, e exigir a quantia de 5 mil reais para sua restituição, durante o último fim de semana.

O indivíduo em questão e a criança foram localizados em uma residência em Ribeirão das Neves, na região metropolitana de Belo Horizonte, nas primeiras horas de sábado (17). O suspeito foi detido em flagrante por sequestro com extorsão e teve sua prisão convertida em preventiva.

Conforme relatado pela delegada Fernanda Fiúza, da Delegacia Especializada de Proteção à Criança e ao Adolescente (Depca), os eventos tiveram início na manhã de sexta-feira (16), quando a progenitora da criança, uma jovem de 19 anos, procurou a autoridade policial e relatou o desaparecimento do filho pelas mãos do próprio pai.

A mulher informou que, na tarde de quinta-feira (15), por volta das 16h, encontrava-se realizando compras no centro da cidade, momento em que o genitor do bebê compareceu ao estabelecimento. Ele tomou a criança nos braços, alegando que iria auxiliar a jovem para que esta pudesse carregar suas compras. Posteriormente, afirmou que se dirigiria à loja adjacente com o filho, porém desapareceu em seguida.

"[O autor] manteve a mãe ao telefone, prolongando a conversa até as duas horas da madrugada. Às 8h30, entretanto, ele entrou em contato novamente, ameaçando levar a criança para São Paulo, caso a mãe não efetuasse um depósito de R$ 5 mil em sua conta Pix. A partir desse momento, passamos a tratar o caso como sequestro", explicou a delegada.

A jovem possuía uma medida protetiva contra o suspeito

A delegada da Depca, Letícia Müller, que também atuou no caso, revelou que a jovem já possuía uma medida protetiva contra o suspeito.

"Tratava-se de um relacionamento extremamente abusivo, no qual o suspeito exercia considerável domínio psicológico sobre ela, principalmente devido à disparidade de idade. Enquanto ela era uma jovem de 19 anos, ele já contava com 32 anos, além de ser pai de três crianças de relacionamentos anteriores. Esta relação era mantida sob ameaça, com o suspeito alegando: 'Tenho uma medida protetiva contra mim, mas se você me deixar, vou te matar, assim como aos seus filhos'", relatou.

Além de ameaçar o filho mais velho da mulher, uma criança de seis anos, a delegada também afirmou que o suspeito mantinha a jovem presa dentro de casa, caracterizando um quadro de cárcere privado.

Criança foi encontrada em condições deploráveis

A Polícia Civil localizou o suspeito na casa de familiares, em Ribeirão das Neves. Segundo a delegada Fernanda Fiúza, o bebê foi encontrado com as mesmas vestimentas que usava durante o sequestro, em condições higiênicas "deploráveis".

"[A criança] estava com a fralda muito suja, como se não tivesse sido trocada. Ele brincava no chão, descalço, em uma situação muito complicada. A criança aparentava estar com fome, mas o mais preocupante era seu estado de extrema sujeira", detalhou Fiúza.

A delegada também descreveu o momento do reencontro da mãe com o bebê. "Quando o entreguei à mãe, ele pareceu assustado ao vê-la. Contudo, ficou extremamente feliz, abraçando-a. A mãe ficou profundamente emocionada, chorando abundantemente", acrescentou.

Pena por sequestro pode alcançar 20 anos de detenção

Conforme a Polícia Civil, dado que a guarda do bebê era compartilhada entre o casal, o pai não cometeu nenhum delito ao levar a criança. Todavia, ao ameaçar a mãe e exigir uma quantia em dinheiro em troca do filho, o caso foi enquadrado como extorsão mediante sequestro. O indivíduo também será responsabilizado por violar a medida protetiva.

A delegada Letícia Müller expôs as possíveis consequências penais neste caso. Segundo ela, o crime de extorsão mediante sequestro será agravado devido ao fato de ter sido cometido contra um menor de idade e à duração do sequestro, que ultrapassou 24 horas. "Neste cenário, a pena pode variar de 12 a 20 anos de reclusão", explicou.

Considerando que a mãe ainda possuía uma medida protetiva em vigor contra o suspeito e este manteve contato com ela, apesar de estar ciente da vigência da proteção, o indivíduo também responderá por violar tal medida. Este crime acarreta pena de três meses a dois anos de detenção.

コメント


bottom of page