top of page
1e9c13_a8a182fe303c43e98ca5270110ea0ff0_mv2.gif

Israel assumirá 'responsabilidade global pela segurança' em Gaza após a guerra


Reprodução

O primeiro-ministro israelense, Benjamin Netanyahu, afirmou na segunda-feira (6) que seu país assumirá "a responsabilidade global pela segurança" em Gaza após a guerra com o Hamas, e rejeitou "um cessar-fogo geral".
"Israel terá, por tempo indeterminado, a responsabilidade global pela segurança", disse em uma entrevista à rede de televisão norte-americana ABC.
"Vimos o que aconteceu quando não a temos. Desde que não assumimos a responsabilidade pela segurança, testemunhamos a erupção do terror do Hamas em uma escala que não poderíamos imaginar", acrescentou.
O Exército israelense bombardeia incessantemente Gaza e fez incursões no território em resposta ao ataque lançado pelo Hamas em 7 de outubro, no qual os combatentes do Hamas mataram 1.400 pessoas, a maioria civis, e fizeram cerca de 240 reféns.
Segundo o Ministério da Saúde do Hamas na segunda-feira, o saldo de mortos na guerra em Gaza ultrapassa 10.000 pessoas, incluindo mais de 4.000 crianças.
Porém em sua entrevista, Netanyahu questionou os números do ministério de Gaza e afirmou que provavelmente incluem "vários milhares" de combatentes palestinos.
Apesar dos crescentes apelos por um cessar-fogo de diversos líderes mundiais, incluindo o secretário-geral da ONU, António Guterres, Netanyahu é contra.

"Não haverá um cessar-fogo, um cessar-fogo geral, em Gaza até a libertação de nossos reféns", disse à ABC News. "Quanto a pequenas pausas táticas, uma hora aqui e uma hora ali, tivemos isso antes", acrescentou.
Quando questionado se assumirá a responsabilidade pelo ataque de 7 de outubro, Netanyahu respondeu "claro" e admitiu que seu governo "claramente" não cumpriu com sua obrigação de proteger sua população.
Fonte: UOL

Comments


bottom of page