top of page
1e9c13_a8a182fe303c43e98ca5270110ea0ff0_mv2.gif

Lançamento de satélites na órbita terrestre acontece no Inatel em Minas; saiba como vai funcionar


Foto: Reprodução / Inatel

Foto: Reprodução / Inatel


Dois satélites escolhidos entre os melhores da 3ª etapa da Olimpíada Brasileira de Satélite serão lançados na órbita da Terra direto da sede do Instituto Nacional de Telecomunicações (Inatel), em Santa Rita do Sapucaí (MG). O evento aconteceu nesta última sexta-feira (17) e teve entrada gratuita.

A Olimpíada propõe que as equipes inscritas construam pequenos satélites de monitoramento que, além de propor a solução de problemas reais, atendam a diversos protocolos que tem por objetivo difundir a cultura aeroespacial.

As ondas eletromagnéticas de um satélite possibilitam, por exemplo, a comunicação via sinal de internet, de TV, além de diversas informações e monitoramentos de dados que podem ser distribuídos para todo o mundo.
Conforme o Inatel, para escolha do melhor projeto os competidores vão apresentar protótipos a uma banca que vai avaliar a criatividade e os avanços dos projetos. A contribuição de cada projeto no desenvolvimento da comunicação a distância também é critério de avaliação.

Formação das equipes
O evento é promovido pelo Ministério da Ciência, Tecnologia e Inovações, com abrangência nacional. Nesta 3ª fase serão reunidas 12 equipes, divididas em três níveis (ensino fundamental, técnico ou graduação e pós-graduação).
Entre as melhores equipes do Estado de Minas Gerais, duas representam o Inatel na Olimpíada Brasileira de Satélites de 2023.

A primeira equipe é a Lorentz Cage, que propõe como missão testar a geração de energia elétrica a partir do satélite. Já a segunda equipe é a Eremita e deve monitorar florestas em tempo real e coletar informações sobre o estado das matas, de modo a identificar possíveis desmatamentos e queimadas.

Lançamento dos satélites
Para o lançamento, os satélites premiados serão fixados a uma sonda estratosférica conectada a um balão de hélio. Após a soltura dos balões, a sonda subirá até a camada inicial da estratosfera, podendo atingir uma altitude de até 22 km.

O balão estourará e voltará para o solo. As equipes sairão para o resgaste destes objetos para verificar como eles desempenharam a missão proposta.
Um aparelho de geolocalização será usado pela organização do evento que fará o rastreio para estimar onde o balão vai cair. Todo esse procedimento terá uma duração média entre três a quatro horas.

O lançamento acontece nesta sexta-feira (17), com previsão de início para às 10h, na área de lazer do Inatel. A entrada é gratuita e aberta ao público em geral.
O evento será encerrado com uma palestra sobre o que há de mais atual no mundo, quanto às pesquisas e projetos em relação ao sistema satelital.
Fonte: G1

Comments


bottom of page