top of page
1e9c13_a8a182fe303c43e98ca5270110ea0ff0_mv2.gif

Lavras é a 8ª cidade de Minas a ter um Centro de Triagem e Reabilitação de Animais Silvestres




No início da tarde da última sexta-feira, dia 10, no campus II do Unilavras, no bairro Água Limpa, na presença de autoridades do município e representantes de autoridades estaduais, foi lançada a pedra fundamental do Centro de Triagem e Reabilitação de Animais Silvestres (Cetras).

A unidade, especializada, inicialmente no recebimento de aves silvestres, será construída no campus II do Unilavras e deverá ser inaugurada no primeiro semestre do próximo ano, em 2024. O Cetras Sul de Minas terá capacidade para receber, tratar e reintroduzir à natureza cerca de mil aves anualmente.

O projeto conta com investimento do Unilavras, do Centro Mineiro de Alianças Intersetoriais (Cemais), organização sem fins lucrativos que atua no fomento de parcerias entre setor público, privado e sociedade civil. A iniciativa conta também com apoio institucional da Agência Regional de Proteção Ambiental da Bacia do Rio Grande (Arpa Rio Grande), que atua na captação e disponibilização dos recursos.

Segundo o professor João Antônio Argenta, Presidente da Fundação Educacional de Lavras, a estrutura irá funcionar em uma área de 6.670 m² disponibilizada pela Fundação Educacional de Lavras. O espaço abriga também o complexo de clínicas veterinárias da universidade.

O IEF será responsável pela gestão da unidade pelo prazo de 10 anos, conforme diretrizes técnicas estabelecidas pelo Termo de Cooperação Técnica firmado entre o Instituto Estadual de Florestas (IEF) e o Ministério Público de Minas Gerais, para a criação do Cetras Sul de Minas Lavras em maio deste ano.

O IEF, órgão que integra o Sistema Estadual de Meio Ambiente e Recursos Hídricos (Sisema), será responsável pela análise prévia dos projetos executivos de arquitetura apresentados pela Unilavras para a construção do Cetras Sul de Minas. O Instituto irá responder também pelo recebimento das aves silvestres e exóticas oriundas de ações de fiscalização estaduais, recolhimento e entrega voluntária na região, atuando na identificação das espécies, marcação, triagem e avaliação clínicas, além do manejo alimentar e sanitário das aves até sua recuperação e retorno à natureza.

O Cetras Sul de Minas Lavras irá atender cerca de 200 municípios do Sul de Minas e Campo das Vertentes. Para se ter uma ideia da complexidade que existe hoje, os agentes do Instituto Brasileiro do Meio Ambiente (Ibama) de Lavras e Belo Horizonte, e agentes da Polícia Federal (PF) apreenderam no dia 22 de março em São Lourenço, no Sul de Minas, 608 animais que eram mantidos em cativeiro de forma ilegal.

As aves e jabutis apreendidos foram trazidos para Lavras e daqui enviados para Belo Horizonte. No trajeto entre São Lourenço a Lavras, quatro aves morreram e outras tantas no trajeto de Lavras ao Cetras de Belo Horizonte.

São distâncias muito consideráveis que não favorecem níveis satisfatórios de bem-estar aos animais, além de não serem economicamente e estrategicamente viáveis do ponto de vista de gestão. O Cetras Lavras surge para suprir essa demanda no Sul de Minas e Campo das Vertentes.

Os Centros de Triagem e Reabilitação de Animais Silvestres são estruturas autorizadas a receber, identificar, marcar, triar, avaliar, recuperar, reabilitar e destinar animais silvestres e exóticos provenientes das ações de fiscalização do estado, de entrega voluntária de particulares ou do recolhimento no ambiente rural e urbano quando em situação de risco ou feridos.

Atualmente, Minas Gerais conta com sete Centros de Triagem e Reabilitação, localizados em Belo Horizonte, Montes Claros, Juiz de Fora, Patos de Minas. Divinópolis, Gouveia e Januária, sendo as duas últimas no Norte de Minas.

Fonte: Jornal de Lavras

Comments


bottom of page