top of page
1e9c13_a8a182fe303c43e98ca5270110ea0ff0_mv2.gif

Maiores cidades do Sul de MG já somam 121 casos de violência contra a mulher desde início de 2024, aponta Polícia Civil

Para facilitar denúncias desse tipo de crime, ‘Chame a Frida’, uma assistente virtual, é lançada na região de Pouso Alegre nesta quarta (10).


Desde o início de 2024, as cinco maiores cidades do Sul de Minas já somaram mais de 120 casos de violência contra a mulher, de acordo com a Polícia Civil. Para facilitar denúncias desse tipo de crime, ‘Chame a Frida’, uma atendente virtual, é lançada nesta quarta (10). (Entenda abaixo)

Os casos registrados na região englobam violência física, moral, patrimonial, psicológica, social e outras contra as mulheres.

Os dados estão disponíveis no Painel da Violência contra a Mulher da Polícia Civil e consideram registros feitos até esta terça-feira (9) no Sul de Minas.

Veja abaixo:

  • Poços de Caldas: 35 casos

  • Pouso Alegre: 24 casos

  • Varginha: 23 casos

  • Passos: 20 casos

  • Lavras: 19 casos


Maiores cidades do Sul de MG já somam 121 casos de violência contra a mulher desde início de 2024, aponta Polícia Civil — Foto: Jader Souza
Apesar do número expressivo, a quantidade de casos pode ser bem maior – chegando até ao dobro do registro. Os motivos são diversos, seja por falta de coragem ou até de informação.

"Nem todas as mulheres têm coragem de denunciar as violências que estão sofrendo. Existem inúmeras razões para isso. E uma delas é a falta de informação sobre a Lei Maria da Penha, sobre os seus direitos, sobre onde procurar, o que fazer. Isso impede muitas vezes que as mulheres tomem a coragem, porque é um ato de coragem de denunciar que estão sofrendo ali violências, não só físicas, mas também psicológicas, patrimoniais, econômicas"— Pamela Vindilino, jurista e ativista social

LEIA TAMBÉM


Como funciona o sistema 'Chame a Frida'?


'Chame a Frida' é uma atendente virtual da Polícia Civil de Minas Gerais que atua por meio do WhatsApp. O atendimento é automático.

O sistema possui um menu com opções em que é possível identificar se é urgente. A partir das mensagens digitadas pela vítima, ele fornece as respostas e orientações de passos a serem seguidos.
As mulheres conseguem solicitar agendamentos para formalizar medidas protetivas, solicitar cópia das medidas, tirar dúvidas sobre as leis que garantem seus direitos e punem os agressores.

O sistema é monitorado por um servidor que fica com o celular e acompanha os atendimentos; quando necessário, ele faz o contato para auxiliá-la. Pelo serviço, é possível também enviar a localização exata de onde está.

O serviço é 24 horas e vai atender as regionais das polícias civis de Pouso Alegre, São Lourenço e Itajubá.

Veja os números para entrar em contato via WhatsApp:

  • Pouso Alegre— (31) 99235-0451

  • Itajubá — (31) 99804-6992

  • São Lourenço — (31) 97558-2525



FONTE:G1

댓글


bottom of page