top of page
1e9c13_a8a182fe303c43e98ca5270110ea0ff0_mv2.gif

MaxMilhas é acusada de emitir passagem, cancelar em seguida e ficar com dinheiro de clientes

Morador de BH diz que empresa, comprada pela 123 Milhas, sequer avisa sobre o cancelamento



Maxmilhas está em recuperação judicial. FOTO: Divulgação


Em recuperação judicial, a MaxMilhas é acusada de cancelar bilhetes já emitidos, não informar aos clientes e continuar recebendo o dinheiro pago pelos consumidores. A situação ocorreu com um servidor público, de 34 anos, morador de Belo Horizonte. Há cinco meses, ele comprou passagens de São Paulo para Foz do Iguaçu-PR e da cidade do Paraná para Belo Horizonte por cerca de R$ 3 mil.

Os bilhetes foram emitidos, mas, um dia antes da viagem, marcada para 21 de outubro, ao tentar retirar o cartão de embarque, ele foi surpreendido.

“A companhia área informou que a compra foi estornada dois dias após a minha compra. Ou seja, eles pegam seu dinheiro, compram a passagem e estornam o dinheiro para si mesmos. Continuei pagando, porque dividi (o valor) e eles não me informaram que a passagem foi estornada. Ou seja, eles vão receber", disse o servidor, que pediu para não ser identificado.

O cliente procurou a Max Milhas e teve a seguinte resposta: "Me disseram que estou envolvido no processo judicial deles e vou receber somente nesse processo".

O servidor disse ainda que a Max Milhas bloqueou comentários nas redes sociais. "Tem diversas reclamações desse tipo. Eles não estão pagando quem emite as milhas para eles e, consequentemente, dando calote em quem compra as passagens. Tipo a 123Milhas".

No portal Reclame Aqui, é possível encontrar outras denúncias da mesma natureza. Clientes reclamam de terem sido surpreendidos pelo cancelamento de passagens ou reservas, ou de, ao pedirem cancelamento, serem informados de que a passagem já havia sido cancelada.

"Comprei uma passagem com a MaxMilhas e no dia da viagem descobrir que não tinha reserva liguei pra lá entrei em contanto me mandaram outro localizador em cima da hora , e antes que eu chegasse ao aeroporto cancelaram a passagem", escreveu um cliente na plataforma.

Recuperação Judicial

A Justiça de Minas Gerais aceitou o pedido da MaxMilhas para entrar no processo de recuperação judicial da 123Milhas. As duas agências fazem parte do mesmo grupo empresarial e, por isso, foram afetadas pelo cancelamento da linha “promo” da 123Milhas e pela crise que afeta a empresa.

A MaxMilhas e a Lance Hotéis, outra empresa do grupo da 123Milhas, haviam entrado com o pedido de recuperação judicial no dia 21 de setembro. Segundo a companhia, a intenção era "assegurar o cumprimento dos compromissos assumidos”, “organizar os débitos”, “acelerar a quitação dos valores devidos” e "restabelecer o mais rapidamente possível seu equilíbrio financeiro e operacional".

Crise na 123Milhas

A agência de viagens 123Milhas surpreendeu milhares de clientes no dia 18 de agosto, após anunciar o cancelamento de pacotes de viagens promocionais, que atraíam muitas pessoas pelo preço baixo. A decisão revoltou clientes e fez a empresa pular rapidamente para o 1º lugar no ranking de empresas mais “denunciadas” do portal Reclame Aqui. Nesse caso, a empresa chegou a emitir bilhetes.

No dia 29 de agosto, a 123Milhas um pedido de recuperação judicial na 1ª Vara Empresarial da Comarca de Belo Horizonte, em Minas Gerais. No pedido, a empresa afirma que enfrenta a "pior crise financeira de sua história" e alega que "fatores internos e externos impuseram um aumento considerável de seus passivos nos últimos anos".

FONTE: Itatiaia

תגובות


bottom of page