top of page
1e9c13_a8a182fe303c43e98ca5270110ea0ff0_mv2.gif

Megaoperação da Polícia no Rio deixa criminosos mortos e PMs feridos

A Polícia Militar realiza desde as primeiras horas de terça-feira (27), uma megaoperação em comunidades do Rio de Janeiro comandadas pelo Comando Vermelho, como o Complexo do Alemão e da Penha, na zona norte da cidade. Até o momento, um PM ficou ferido e quatro suspeitos morreram.
O objetivo da ação é capturar lideranças da facção criminosa, que, segundo a PM, promove a maior parte dos conflitos armados e tentativas de expansão territorial na capital e no interior do estado. Houve relatos de trocas de tiros.
No Complexo da Penha, um policial do Batalhão de Polícia de Choque (BPChq) foi atingido no braço e socorrido ao Hospital Central da Polícia Militar (HCPM), no Estácio. O estado de saúde dele é estável.
Perto da Vila Cruzeiro, que faz parte do Complexo, PMs foram atacados a tiros por criminosos que saíam da comunidade em um veículo. Houve confronto e os policiais conseguiram apreender uma pistola e 31 tabletes de maconha. Os bandidos fugiram a pé.
Nos acessos ao Complexo do Alemão, ruas foram fechadas. Já no interior das comunidades, homens do Comando de Operações Especiais (COE) precisaram remover barricadas para avançar com o policiamento. Até sofás e pneus tinham sido colocados no caminho. Na comunidade Nova Brasília, que faz parte do conjunto de favelas, criminosos atearam fogo em veículos para tentar impedir a chegada dos PMs. Após apagar as chamas, os carros foram removidos.
Durante a ação, o Batalhão de Operações Especiais (BOPE) encontrou um esconderijo utilizado pelos criminosos em uma área de mata. O local foi destruído pelos agentes.
Ação em outras comunidades dominadas pela facção
Apesar de o foco da operação ser no Alemão e na Penha, outras comunidades que margeiam a região também tiveram ações, como as do Flexal (Inhaúma), Engenho da Rainha, Juramentinho e IPASE (Vicente de Carvalho), Guaporé, Tinta e Quitungo (Brás de Pina e Cordovil).
Na Comunidade da Flexal, quatro criminosos foram atingidos em confronto e duas pistolas foram apreendias. O socorro segue em andamento.
Na Comunidade do Quitungo, equipes do 16º BPM (Olaria) desmobilizaram um ponto de venda de drogas e apreenderam certa quantidade de entorpecentes a serem contabilizados.
Além do COE, unidades dos 1º e 2º Comandos de Policiamento de Área (CPAs) e da Coordenadoria de Polícia Pacificadora (CPP) também participam das ações. A PM também atua na Cidade de Deus, na zona oeste do Rio, e precisou lidar com as barricadas em chamas no acesso ao interior da favela. As ações acontecem, ainda, no Morro do Trem, no Juramento, Juramentinho, Ipase, Flexal, Guaporé, Tinta e Quitungo, todas na zona norte.
Tentativa de fuga
e morte de suspeitos
Ainda na madrugada, policiais entraram em confronto com criminosos armados que saíam do Complexo da Penha, com destino à Comunidade do Trio de Ouro, em São João de Meriti, na Baixada Fluminense. Quatro homens estavam em um carro e foram atingidos. Eles chegaram a ser levados para a Unidade de Pronto Atendimento (UPA) de Jardim Íris, mas não resistiram. Com eles, foram apreendidos dois fuzis calibre 7.62, quatro carregadores, dois rádios comunicadores e uma capa de colete balístico, além do carro, que era roubado. A ocorrência foi apresentada na Delegacia de Homicídios da Baixada Fluminense (DHBF).
Fonte: CNN

Comments


bottom of page