top of page
1e9c13_a8a182fe303c43e98ca5270110ea0ff0_mv2.gif

Neymar no Santos? Veja o que afasta e o que aproxima ídolo de retorno ao clube no futuro


"Sonhar não custa nada". A frase, indiretamente, vem ocupando a mente do torcedor do Santos nos últimos tempos e tem nome e sobrenome: Neymar da Silva Santos Júnior. O astro se reaproximou do Peixe, virou símbolo de vitórias no Paulistão e cria cada vez mais expectativas sobre um retorno ao Brasil. Mas, afinal, Neymar voltará ao Santos em 2025?

A resposta da pergunta ainda não é exata e, a cada aparição dele em jogos do Peixe na Vila Belmiro, o tema volta à tona com toda a força. Abaixo, o ge pontua situações que aproximam e afastam o tão sonhado retorno de Neymar ao Santos.

"O sonho é importante"
É inegável a reaproximação intensa e recíproca entre Neymar e Santos. Mais do que isso, o presidente do clube, Marcelo Teixeira, cultiva ótima relação com o pai do craque. O cortejo, os elogios e as conversas frequentes acontecem desde antes da eleição presidencial que reelegeu o dirigente.

E não é só Marcelo. O gerente de marketing do Peixe, Armênio Neto, ocupava o mesmo cargo no surgimento do craque e foi responsável por um plano financeiro envolvendo patrocinadores que segurou Neymar no clube por anos.
De volta ao Peixe, Armênio tem usado o Twitter para "criar expectativas" nos santistas. Afinal, sonhar não custa nada.

O próprio Neymar também não tem medido forças para agradar. Nos dois jogos em que esteve na Vila Belmiro neste Paulistão, fez questão de cumprimentar todo o elenco, parabenizar a comissão técnica e ostentar a camisa branca do Peixe com o número 10 de Pelé. No domingo, deu entrevista para Elano:
— É bom demais ser recebido em casa — disse, à Cazé TV.
Neymar pai também fez questão de exaltar o carinho pelo Alvinegro.
— Não é só uma reaproximação, todo mundo sabe do amor que temos pelo Santos, onde começamos, onde meu filho começou a carreira. É gostoso de estar de volta. Faz a gente lembrar muita coisa, estamos muito felizes neste momento — disse o pai de Neymar, à 105 fm.

É como se ambos estivessem "marcando território" para diminuir a chance de outras equipes do futebol brasileiro ousarem se aproximar de Neymar e tentarem montar qualquer tipo de projeto para repatriá-lo. O astro é do Santos e para o Santos voltará. Esse é o recado.

Neste contexto, a Copa do Mundo de 2026 também entra em cena: estar no Brasil e se reaproximar da torcida antes do que pode ser seu último mundial na carreira tem um peso grande. Estar no Santos pode ser bom não só para o clube, mas também para os planos do jogador.

De longe e ainda tímida, a Puma, patrocinadora pessoal do atleta, monitora a situação. Ela é uma das interessadas em substituir a Umbro no uniforme alvinegro a partir do ano que vem.

"Temos que ter calma"
Por outro lado, embora tenha dito a alguns jogadores que pretende voltar ao clube, Neymar e todos os envolvidos sabem que o projeto para o retorno é complexo e envolve um outro clube diretamente: o Al-Hilal ficará quase um ano sem contar com os serviços do astro e pode sugerir uma renovação.

Neymar assinou por dois anos com o clube árabe em agosto do ano passado. Tem, portanto, vínculo até o segundo semestre de 2025. Porém, em outubro, sofreu uma lesão ligamentar no joelho e ficará até agosto ou setembro sem atuar. Ausente, tem sido extremamente bem tratado pelo clube.

— Não tem essa discussão (de renovação obrigatória). A lesão é inerente ao futebol e não é prerrogativa para estar dentro de contrato. Mas, é claro que o que carinho e o tratamento que estão nos dando pode fazer haver, sim, renovação. Pode acontecer por um mútuo acordo — disse Neymar pai.

— O sonho (de retorno) é importante. Mas eu acho que a gente precisa ter calma. Ele tem um tempo ainda a cumprir fora do país. Principalmente na Arábia. O retorno (ao Brasil) vai acontecer uma hora, mas com calma, pés no chão. Antes, precisa de uma recuperação de excelência para voltar em alto nível — completou o pai do astro.

Mesmo uma renovação com o Al-Hilal não descartaria definitivamente um retorno em 2025, já que o jogador poderia ser cedido por empréstimo se topasse um contrato mais longo. São todos cenários ainda distantes e que só serão mais concretos a partir do segundo semestre deste ano. Pelo lado do Santos, por ora, os sonhos são mais urgentes, como disse Marcelo Teixeira em entrevista ao ge em fevereiro. Subir para a Série A do Brasileirão é o mais importante deles.
Fonte: GloboEsporte

Comentarios


bottom of page