top of page
1e9c13_a8a182fe303c43e98ca5270110ea0ff0_mv2.gif

Novas Táticas Russas no Conflito Ucraniano: Ataques com Veículos Leves Transformam a Linha de Frente

À primeira vista, pareciam apenas uma nuvem de poeira no horizonte, mas logo se revelaram as motocicletas dos soldados russos, ziguezagueando pelo campo, levantando poeira e fazendo uma barulhenta investida em uma das trincheiras ucranianas. "Eles chegam de repente, se espalham, fazem curvas bruscas", disse o tenente Mykhailo Hubitsky, descrevendo a nova modalidade de ataque que testemunhou. Esse tipo de investida tem proliferado ao longo da linha de frente há meses, adicionando um novo elemento à já violenta e caótica luta.
Segundo soldados e comandantes locais, o uso de motocicletas, bicicletas de montanha, quadriciclos e buggies de areia agora representa metade de todos os ataques em algumas áreas da frente, com as forças de Moscou tentando usar a velocidade para penetrar nos espaços vazios expostos, onde seus veículos blindados, mais lentos, se tornam alvos fáceis.
O uso frequente desses veículos tem sido tão intenso que parte das trincheiras agora tem vista para verdadeiros ferros-velhos de veículos off-road abandonados e danificados, como mostram os vídeos de reconhecimento feitos por drones.
Essa nova tática é uma adaptação dos invasores a um campo de batalha cheio de minas e sob forte vigilância, com o objetivo de obter pequenas vitórias táticas, geralmente de algumas centenas de metros; o maior avanço na região foi de cerca de 25 quilômetros do ponto inicial. "Estamos enfrentando uma disputa metro a metro", confirmou o capitão Yaroslav, comandante de artilharia da 80ª Brigada de Assalto Aéreo, que na semana passada estava disparando foguetes contra as linhas russas e só se identificou pelo primeiro nome por razões de segurança.
Apesar disso, o Exército russo continua na ofensiva. Com o tempo, seus pequenos ganhos passaram a representar uma vantagem considerável, agora aproximando-se de linhas de fornecimento estrategicamente importantes e cidadezinhas na região do Donbas, no leste do país. fonte :R7

Comments


bottom of page