top of page
1e9c13_a8a182fe303c43e98ca5270110ea0ff0_mv2.gif

O Ministério da Saúde está direcionando R$ 150 milhões para apoiar iniciativas de vacinação em todo o Brasil.

Foto: José Cruz/Agência Brasil
Ministério da Saúde vai destinar R$ 150 milhões a estados e municípios para apoiar o desenvolvimento da Estratégia de Vacinação nas Escolas, dessa quantia, R$ 15 milhões serão repassados aos estados, enquanto os municípios receberão R$ 135 milhões. Esse investimento tem como objetivo impulsionar a Estratégia de Vacinação nas Escolas, a Campanha Nacional de Vacinação contra a Poliomielite e o Monitoramento das Estratégias de Vacinação em todo o país durante o ano de 2024, focando especialmente em crianças e adolescentes menores de 15 anos.

Desde 2023, houve um aumento nas coberturas vacinais de 13 dos 16 principais imunizantes do calendário do Programa Nacional de Imunização (PNI), destacando-se as vacinas contra a poliomielite, hepatite A, febre amarela, tríplice viral (sarampo, rubéola e caxumba) e pneumocócica.

Além disso, a verba será dividida em R$ 15 milhões para os estados e R$ 135 milhões para os municípios, em uma única parcela para permitir um planejamento adequado ao longo do ano. A intenção é também incentivar as administrações municipais a implementarem estratégias de vacinação envolvendo as escolas, com uma agenda prioritária proposta pelo Ministério da Saúde para as crianças e adolescentes menores de 15 anos. Em 2023, 3.992 municípios brasileiros realizaram ações de vacinação nas escolas, como verificação de cadernetas ou aplicação de vacinas no ambiente escolar, graças ao microplanejamento coordenado pela pasta.

Outro objetivo desse repasse é a realização da Campanha Nacional de Vacinação contra a Poliomielite, planejada para o primeiro semestre em todos os 5.570 municípios. A meta é ampliar a vacinação e proteger as crianças menores de 5 anos contra a poliomielite, considerando o risco de reintrodução da doença, que não é diagnosticada no Brasil desde 1989. Neste ano, também haverá a substituição dos reforços com a vacina oral poliomielite (VOP) por um reforço com a vacina inativada poliomielite (VIP).

Diante desses desafios e compromissos para a erradicação da poliomielite e eliminação do sarampo, serão monitoradas as estratégias de vacinação contra essas doenças, visando identificar crianças menores de 5 anos não vacinadas ou com esquema de vacinação incompleto. O acompanhamento das estratégias é crucial para diminuir as lacunas de imunidade na população.
Fonte: Ministério da Saude

Comments


bottom of page