top of page
1e9c13_a8a182fe303c43e98ca5270110ea0ff0_mv2.gif

“Operação K9” encontra mais de 100 pontos com drogas K em presídios de Minas


Uma operação da Secretaria de Estado de Justiça e Segurança Pública (Sejusp) de Minas Gerais, em conjunto com o Departamento Penitenciário de Minas Gerais (Depen-MG), encontrou mais de 100 pontos das drogas sintéticas K dentro de presídios mineiros.

Batizada de “Operação K9”, em referência a um dos tipos das drogas K, a ação começou na última terça-feira (7), no Presídio Inspetor José Martinho Drumond, em Ribeirão das Neves, região da Grande BH.

Já na quinta-feira (8), outra etapa foi deflagrada, desta vez no Presídio Antônio Dutra Ladeira, também em Ribeirão das Neves.

O secretário de Estado de Justiça e Segurança Pública, Rogério Greco, participou do início da operação e declarou que não medirá esforços para evitar que todo e qualquer item ilícito entre ou permaneça no interior das unidades prisionais.No último fim de semana, uma visitante foi flagrada tentando entrar na unidade com mais de mil unidades de k4.

Além da droga K, ela também carregava um invólucro contendo substância branca semelhante à cocaína, além de outro invólucro contendo maconha e um aparelho celular. Os ilícitos foram flagrados durante inspeção no Raio-X.

14 presos mortos e pontos 21 mil pontos apreendidos
Nos presídios vistoriados, 14 presos morreram recentemente por suspeita de overdose de drogas da família K, como a K9.
O último levantamento do Departamento Penitenciário de Minas Gerais (Depen-MG) apontou que mais de 21 mil pontos de drogas K já foram apreendidos de janeiro do ano passado até março deste ano, sendo somente em 2024, 9.224 pontos apreendidos em todo o estado.

O que são as Drogas K?
Os canabinoides, conhecidos popularmente como drogas K2, K4, K9, maconha sintética, “selva”, “cloud9”, “spice”, “espace” ou “supermaconha”, conseguem produzir muitos efeitos psicoativos e tóxicos a partir da ligação nos receptores de canabinoides em humanos.

Essas substâncias são produzidas em laboratórios clandestinos e não passam por nenhum controle de qualidade. Seus efeitos incidem de forma muito mais intensa e nociva sobre o organismo do que a maconha produzida naturalmente.
De acordo com pesquisas, ainda não é possível saber os efeitos das drogas K no organismo humano a longo prazo.

A Organização Mundial de Saúde (OMS) classifica as drogas K como novas Substâncias Psicoativas (NPS) e, segundo o relatório World Drug Report 2022, um total de 57 países relataram apreensões de NPS no ano de 2020.
O número mostra um crescimento de quase 50% das apreensões da década anterior, sendo que 20,3% dessas apreensões eram de canabinoides sintéticos.
Fonte: CNN

コメント


bottom of page