top of page
1e9c13_a8a182fe303c43e98ca5270110ea0ff0_mv2.gif

Operação Maré: prejuízo ao tráfico passa de R$ 20 milhões, estima governo do RJ


Reprodução

O governo do Rio de Janeiro calcula que o prejuízo causado ao tráfico de drogas em três dias de operação no Complexo da Maré, na capital fluminense, é de mais de R$ 20 milhões.
Na terceira etapa da ação, que começou na última segunda-feira (9), o foco foi a prisão de criminosos que fugiram para outras comunidades, o cumprimento de mandados de prisão e a retomada de territórios.
“O trabalho das nossas forças de segurança está focado em desarticular essas máfias e é incansável”, disse o governador Cláudio Castro (PL), que elogiou o trabalho de inteligência e a tecnologia empregados na ação.
Equipamentos como drones com câmeras que fazem mapeamento de áreas em 3D e uma câmera com zoom de longo alcance são utilizados e têm capacidade de reconhecimento facial e identificação de placas de veículos.
Nesta quarta (11), as equipes se espalharam nas comunidades Vila do João, Vila do Pinheiros, Timbau, Baixa do Sapateiro e Salsa Merengue, no Complexo da Maré, além da Cidade Alta, Cinco Bocas, Pica Pau, Complexo do Chapadão e Parque das Missões, em Duque de Caxias, na Baixada Fluminense.
O balanço divulgado pelo governo do Rio de Janeiro dá conta de que, nesta quarta-feira (11), foram 12 prisões (seis no Complexo do Chapadão, três no Complexo da Maré e três no Parque das Missões, em Duque de Caxias), além de 11 apreensões de armas de fogo, sendo seis fuzis (cinco no Chapadão e um na Cidade Alta) e cinco pistolas (Maré).
Os policiais também retiraram 13 toneladas de barricadas em pontos do Chapadão e no Complexo da Maré, apreenderam 37 kg de entorpecentes e recuperaram três veículos roubados em Duque de Caxias.
Operação contra organizações criminosas
O governo do Rio de Janeiro começou a megaoperação contra organizações criminosas no Complexo da Maré, Vila Cruzeiro e Cidade de Deus nesta segunda-feira (9), com o objetivo de prender envolvidos na escalada de violência nas últimas semanas.
Pelo menos mil agentes foram às ruas para cumprir 100 mandados de prisão. A polícia busca, entre outros criminosos, os envolvidos no treinamento de guerrilha na Maré, na morte dos médicos na orla da Barra da Tijuca semana passada e no lançamento de granadas na Avenida Brasil.
No primeiro dia da ação, pelo menos dois helicópteros da polícia foram atingidos e tiveram de fazer pouso de emergência.
Apesar disso, as forças de segurança conseguiram, desde o início da operação, descobrir e fechar um laboratório de refino de drogas e um de explosivos, um depósito de medicamentos, entorpecentes e material para preparo.
Ao todo, 24 pessoas foram presas, 101 veículos – entre carros e motos – apreendidos e 52 toneladas de barricadas retiradas do Complexo da Maré. Na terça (10), o acesso à piscina do Complexo Esportivo da Maré foi recuperado.
As forças de segurança apreenderam, nos últimos três dias, 100 kg de pasta base de cocaína (descobertos num galpão próximo à Vila Cruzeiro), carga avaliada em R$ 12 milhões; mais de meia tonelada de maconha e drogas sintéticas em diversos pontos, uma plantação de skunk (um tipo de maconha mais potente) num imóvel de dois andares na Vila do João e duas estufas de maconha na Maré.
Em relação ao armamento apreendido, o total foi de 13 fuzis, dois simulacros de arma de fogo, sete pistolas, dezenas de artefatos explosivos e diversos rádios comunicadores.
Já sobre a ação dentro dos presídios, a Secretaria de Administração Penitenciária apreendeu 248 celulares e 2 kg de entorpecentes. Os bloqueadores de sinal seguem ativados nas em torno das unidades.
Fonte: CNN

Comentarios


bottom of page