top of page
1e9c13_a8a182fe303c43e98ca5270110ea0ff0_mv2.gif

Parlamentares petistas reagem a discurso de Lira na abertura do ano legislativo

Parlamentares petistas reagiram às cobranças realizadas pelo presidente da Câmara, Arthur Lira (PP-AL), durante seu discurso na abertura do ano legislativo na segunda-feira (5).
Durante seu discurso, o presidente da Câmara enfatizou que o orçamento não pertence somente ao Executivo e exigiu que acordos firmados sejam cumpridos.
As declarações de Lira geraram reações por parte de parlamentares que apoiam o governo. Nas redes sociais, o senador Humberto Costa (PT-PE) afirmou que as declarações foram inoportunas.
“Não pode um presidente da Câmara dos Deputados usar de um momento solene, como a abertura do ano legislativo, para mandar recados e retomar a descabida ideia de querer usurpar uma competência constitucional que não cabe ao parlamento, como a de controlar o orçamento”, escreveu o senador no X (antigo Twitter).
O deputado Lindbergh Farias (PT-RJ) também mostrou insatisfação com as declarações feitas por Lira. “É sempre no mesmo tom! Chega de ameaças e faca no pescoço! É preciso harmonia entre os poderes para fazer o Brasil avançar”, escreveu Farias também no X.
“Ora, o orçamento ‘pertence a todos, todas e não apenas ao Executivo’, diz Lira. Ok. Perfeito. Só que quem executa o orçamento é o Poder Executivo. O legislativo aprova o orçamento. Agora, o parlamento quer impor um esdrúxulo cronograma de execução orçamentária nunca visto na história”, completou o parlamentar.
O líder do PT no Senado, Fabiano Contarato (PT-ES), pediu para que o ano legislativo tenha mais diálogo e menos polarização. “Retomamos agora o ano Legislativo. Que seja focado em quem mais precisa, sem polarização, sem ódio e com diálogo”, publicou Contarato.
Nada de agressivo
Já o líder do PT na Câmara, deputado Zeca Dirceu (PT-PR), minimizou as falas de Lira e afirmou que não viu nenhuma fala ofensiva durante o discurso e que existe um somatório de esforços a favor do Brasil.
“Não vi nada de agressivo ou ofensivo. Também não vi novidade nas falas sobre orçamento e relação política, achei positivo Lira se comprometer a continuar apoiando as pautas de interesse do país”, afirmou Dirceu à CNN.
O ministro da Casa Civil, Rui Costa, também foi na linha de suavizar as falas do presidente da Câmara. O ministro afirmou que não achou a fala de Lira preocupante e que existe concordância entre o que ele disse, o governo e as declarações do presidente do Senado, Rodrigo Pacheco (PSD-AL).
“Tem uma concordância na fala dele (Lira) e o nosso entendimento quando ele diz que errarão aqueles que apostarem no confronto do Legislativo e do Executivo. Isso para mim é uma sinalização extremamente positiva de quem quer o diálogo”, disse Rui Costa.
O ministro do Desenvolvimento e Assistência Social, Família e Combate à Fome (MDS), Wellington Dias, afirmou que, muito maior que qualquer divergência política, deve ser o trabalho pelo povo brasileiro. “Que impere a democracia e a harmonia entre os poderes”, finalizou.
Fonte: CNN

Commentaires


bottom of page