top of page
1e9c13_a8a182fe303c43e98ca5270110ea0ff0_mv2.gif

Passageiro leva choques e mata-leão de seguranças em estação de trem de SP

João Vitor, de 23 anos, registrou boletim de ocorrência por lesão corporal. Ele acusa os agentes de agressão após ter sido imobilizado na estação Perus da CPTM. Ele pulou a catraca após não conseguir carregar o bilhete por conta de uma falha nas máquinas da estação.


Um passageiro de 23 anos levou choques de uma arma após ser imobilizado pelo pescoço com um golpe de mata-leão por seguranças da estação Perus, da Linha 7–Rubi da CPTM, na Zona Norte de São Paulo.

O caso ocorreu na manhã de quarta-feira (29) e foi gravado pela namorada do rapaz. Ele registrou um boletim de ocorrência por lesão corporal e acusa os agentes de agressão. Nas redes sociais, ele divulgou imagens das lesões sofridas.
Em entrevista a TV Globo, João Vitor explicou que pediu ajuda aos funcionários após não conseguir carregar o bilhete por conta de uma falha nas máquinas da estação. Após a recusa, ele decidiu pular a catraca. '18 segundos levando choque'
João Vitor, de 32 anos, foi agredido em estação da CPTM — Foto: Reprodução/TV Globo

"O vídeo tem 42 segundos. Foram 18 segundos levando choque", disse João, que acusa seguranças de agredi-lo com a arma de choque no chão e dar um golpe com os braços para imobilizar seu pescoço.

"Cheguei na estação normalmente para carregar o meu bilhete, por volta de umas 8h. Tinha outras pessoas na fila comigo, mas saíram ao perceber que não funcionava. Solicitei a uma funcionária que liberasse a entrada, visto que eu não teria o dinheiro da passagem. Ela [a passagem] é descontada da minha folha salarial todos os meses. Eu tentava carregar o meu bilhete e ele não carregava". Durante a entrevista, João Vitor relatou que o problema já ocorreu diversas vezes ao utilizar o transporte público e sempre teve o acesso liberado.
Passageiro acusa seguranças da CPTM de agressão e mostra lesões após abordagem — Foto: Divulgação/Arquivo pessoal
Em situações anteriores, dentro da mesma estação, ele relata que foi liberado por funcionários para conseguir embarcar.
"Foi na própria estação Perus. O procedimento do funcionário foi me deixar passar pela lateral da catraca."
Desta vez, porém, um outro funcionário disse que ele deveria pagar a passagem. "O funcionário da CPTM falou que a culpa não era dele, era da SPTrans, e que eu deveria comprar uma nova passagem. Eu falei para ele que não tinha como comprar a passagem e procurar pela SPTrans". O que diz a CPTM Em nota, a CPTM afirmou que o passageiro foi abordado após burlar o bloqueio (catracas) sem pagar a tarifa "o que é considerado infração por evasão de renda, após não conseguir carregar o bilhete nas AMTs da estação. O passageiro reagiu à abordagem, sendo necessário uso de força para contê-lo e sua retirada do sistema."
A CPTM disse ainda lamentar o ocorrido e informou que está apurando os fatos seguintes à abordagem.
"A companhia reitera que não tolera nenhum tipo de violência contra vida nos trens e estações, seja por parte de seus colaboradores ou de passageiros que utilizam o sistema. Com relação às ATM's, foi aberta falha junto à AutoPass, responsável pela administração e a fiscalização do Bilhete Único, às 7h48."

FONTE:G1

Comments


bottom of page