top of page
1e9c13_a8a182fe303c43e98ca5270110ea0ff0_mv2.gif

Petistas criticam embaixador de Israel; eventual expulsão é citada devido a reunião com Bolsonaro


Reprodução

Integrantes do PT na Câmara dos Deputados, como a presidente da sigla e deputada federal, Gleisi Hoffmann (PR), e o deputado Lindbergh Farias (RJ), criticaram, na quinta-feira (9), o embaixador de Israel no Brasil, Daniel Zonshine, por ter promovido uma reunião no Congresso Nacional com a presença do ex-presidente da República Jair Bolsonaro (PL).
Lindbergh Farias chegou a falar em pedido de expulsão do embaixador. “Passou do limite. O embaixador de Israel, Daniel Zonshine, cruzou a linha do aceitável. Criticou publicamente Lula e o governo, que desde o início do conflito só pregam e trabalham pela paz, e agora se reúne com Bolsonaro e bolsonaristas pra fazer política? Devia estar seriamente empenhado em retirar brasileiros da região, isso sim. Basta. Que o Itamaraty avalie e requisite sua expulsão do país”, escreveu nas redes sociais.
A expulsão de um embaixador de um país é tida como um ato dos mais graves que podem ser tomadas em termos diplomáticos e muito dificilmente irá acontecer.
Gleisi Hoffmann escreveu que Zonshine “mais uma vez intrometeu-se indevidamente na política interna de nosso país, num ato público com o inelegível Jair Bolsonaro, realizado em pleno Congresso Nacional”.
“A aliança espúria entre Bolsonaro e o embaixador de Israel é mais repugnante ainda porque envolve a segurança e a vida de cidadãos brasileiros mantidos sob cerco e ameaça no massacre militar na região da Faixa de Gaza”, acrescentou, entre outras críticas.
Zonshine esteve na quarta-feira (8) na Câmara de Deputados com Bolsonaro e parlamentares de direita. Na ocasião, exibiu um filme com imagens do ataque do Hamas no dia 7 de outubro.
A CNN apurou que ao menos um líder do Centrão também foi convidado. No entanto, sob reserva, este disse não saber quem seriam os outros convidados ao encontro.
Em entrevista à âncora da CNN Raquel Landim, Zonshine afirmou que apenas parlamentares foram convidados. “Nós convidamos parlamentares, só. Não estive na entrada da [sala de reunião] para saber quem está chegando e quem não está chegando. Não foi nenhum encontro agendado dessa maneira. Não tem nenhuma história aqui. Não tem nenhuma causa política aqui”.
Conforme a analista da CNN Jussara Soares, a avaliação do Planalto é que o gesto é ruim diplomaticamente, mas o entendimento é que não é o momento de tensionar a relação entre os dois países.
De acordo com fontes do Itamaraty, o governo não pretende “se distrair” neste com o comportamento do embaixador até garantir a repatriação do grupo de 34 pessoas que está em Gaza.
Fonte: CNN

Comments


bottom of page