top of page
1e9c13_a8a182fe303c43e98ca5270110ea0ff0_mv2.gif

Quem é Magda Chambriard, a nova presidente da Petrobras; ações em NY despencam 8%


Após a demissão de Jean Paul Prates na noite de quarta-feira (15), o Ministério de Minas e Energia (MME) indicou a engenheira Magda Chambriard, de 67 anos, para exercer o cargo de presidente da Petrobras.

Magda Chambriard é mestre em engenharia química pela Universidade Federal do Rio de Janeiro e engenheira civil pela mesma instituição. Ela se especializou em engenharia de reservatórios e avaliação de formações e posteriormente em produção de petróleo e gás, na hoje denominada Universidade Petrobras.

Chambriard iniciou sua carreira na Petrobras em 1980. Permaneceu na estatal por 22 anos, até ser cedida à Agência Nacional de Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis (ANP) em 2002.

Tornou-se diretora da ANP em 2008. Em 2012, chegou à diretoria-geral da agência no governo Dilma Rousseff (PT). Na sua gestão, conduziu a ampliação das ofertas para pesquisa de áreas em novas fronteiras petrolíferas.

Também ajudou a elaborar o formato de partilha de produção do pré-sal, em que a União recebe parte do óleo-lucro produzido pelas empresas concessionárias e acredita que o País, puxado pela Petrobras, deve aumentar significativamente sua capacidade de refino para produzir mais diesel e diminuir a dependência das importações do derivado, que variam entre 20% e 30% do volume consumido.

Chambriard permaneceu no cargo até 2016. Desde então vinha atuando como consultora na área de energia e petróleo. É sócia da empresa Chambriard Engenharia e Energia desde janeiro de 2018. Era ainda coordenadora de pesquisa de óleo e gás da FGV Energia.

A favor da exploração de petróleo na Foz do Amazonas
A futura presidente da Petrobras participou do grupo de transição na área de energia do governo de Luiz Inácio Lula da Silva (PT). Chegou a ser cotada para presidir a PPSA, mas recusou.

Nas redes sociais, ela criticou o atraso na concessão de licença do Ibama para permitir que a estatal inicie a exploração na Foz do Amazonas, na Margem Equatorial, tema que dividiu a estatal e a ministra do Meio Ambiente, Marina Silva.
Fonte: O Tempo

Ações da Petrobras em NY despencam 8% na manhã seguinte à demissão de Prates
As ações da Petrobras começaram a quarta-feira em forte queda em Nova York. Nos negócios do pré-mercado, os recibos de ações da estatal brasileira – os ADRs, sigla para American Depositary Receipt – operavam às 8h20 no horário de Brasília em queda de 8,03%, negociados a US$ 15,35, após a demissão de Jean Paul Prates da presidência da companhia.

A sangria das ações da Petrobras acontece após a queda de 2,05% observada no pregão tradicional de ontem em Nova York, quando as ações reagiram ao balanço da companhia divulgado na noite de segunda-feira.
A demissão na Petrobras foi decidida e comunicada pelo presidente Luiz Inácio Lula da Silva na noite de terça (14).

O comunicado da saída foi feito pelo próprio Prates a alguns aliados mais próximos e integrantes de sua equipe, apurou a CNN.

Ontem à noite, a Petrobras também informou que a engenheira e ex-diretora geral da Agência Nacional do Petróleo (ANP) Magda Chambriard foi indicada pelo Ministério de Minas e Energia para a presidência da companhia.
Fonte: CNN

Comentarios


bottom of page