top of page
1e9c13_a8a182fe303c43e98ca5270110ea0ff0_mv2.gif

Regional de Saúde de Varginha orienta municípios para início da campanha de vacinação contra a raiva animal




Para orientar os 50 municípios da área de abrangência da Superintendência Regional de Saúde (SRS) de Varginha, foi realizada na quarta-feira, 12/6, uma reunião virtual que contou com a participação de 75 pessoas. Foram convidados médicos veterinários, coordenadores de vigilância ambiental e referências técnicas de Raiva Animal e Humana, que atuam nessas localidades.

No encontro, foram apresentados os dados da Nota Técnica Nº 3/SES/CEVZ/2024, que traz orientações referentes à campanha anual de vacinação contra a raiva animal em Minas Gerais. A Secretaria de Estado de Saúde de Minas Gerais (SES-MG) destaca que os municípios têm a autonomia para a definição de datas da campanha dentro deste prazo e orienta a iniciar em áreas mais longínquas, como bairros periféricos e áreas rurais, formando um cinturão imunológico em torno das áreas urbanas. Os municípios devem traçar a estratégia de vacinação mais adequada à sua realidade, como vacinação casa a casa, postos ?xos, postos volantes e Dia D de mobilização.

A campanha deve ser realizada no menor tempo possível, não ultrapassando 45 dias em sua totalidade.

A referência técnica do Programa de Controle e Profilaxia da Raiva da SRS Varginha, Anderson José Pessi Corrêa, apresentou dados sobre a raiva, abordando sintomas, acometimentos, estratégias da campanha, importância da ampla divulgação, cuidados no armazenamento das doses da vacina e na aplicação.

Conforme destacou Anderson Corrêa, todos os mamíferos estão suscetíveis à contaminação pelo vírus. “A raiva mata cerca de 60 mil pessoas anualmente no mundo. A forma de transmissão para as pessoas mais frequente é por mordidas de cães. Trata-se de uma doença de notificação compulsória aos órgãos de saúde e é fundamental, em caso de suspeita, o monitoramento do animal que apresenta sintomas, além da necessidade de orientação e acompanhamento da pessoa atacada”, destacou a referência técnica.

Números na região da SRS Varginha
Dados do Sistema de Vigilância em Saúde (SVS) do Ministério da Saúde (MS) mostram que, em 2022, foram registrados nove casos de raiva animal em gatos e sete em cães no país. Em Minas Gerais, em 2022, foram diagnosticados quatro casos de raiva humana e uma confirmação em 2023. A vacinação de cães e gatos domésticos é essencial para evitar a contaminação, que na grande maioria dos casos tem prognóstico fatal. O número de acidentes com animais, como mordidas e ataques, nos 50 municípios que compõem a área de abrangência da SRS Varginha reforçam essa importância. Entre 2020 e 2024, foram registrados 18.709 acidentes com cães, 2.499 acidentes com gatos, 125 com morcegos, 37 com macacos, 6 com raposas, 99 por herbívoros domésticos e 991 por outras espécies diversas.

Em 2023, 5.429 pessoas passaram por atendimentos médicos antirrábicos na área da SRS Varginha. Neste ano, foram registrados até o momento, 1.658 atendimentos deste tipo em toda a rede de saúde.

Campanha vacinação
Como estratégias de prevenção aos óbitos por raiva, é feita anualmente a campanha de vacinação antirrábica animal, voltada a cães e gatos domésticos. Há ainda a profilaxia antirrábica humana de pré-exposição, com a vacinação para profissionais que correm mais risco de exposição à doença, como os veterinários; e a profilaxia pós-exposição, em alguns casos após ataques de animais com suspeita da doença. Há ainda por parte da saúde pública o monitoramento da circulação viral, que busca identificar eventuais variantes.
A meta preconizada pela SES-MG é vacinar pelo menos 90% dos animais. A referência técnica da SRS Varginha reforçou que “é essencial vacinar o maior número de cães e gatos no período de 45 dias. A vacinação é importante para interromper o ciclo de transmissão do vírus rábico”.

A referência técnica do Programa de Controle e Profilaxia da Raiva da SRS Varginha, Anderson José Pessi Corrêa, reforçou ainda que devem ser vacinados todos os animais acima de 3 meses e que não há contraindicações para animais gestantes e lactantes. “Recomenda-se que os animais que estejam em tratamento de saúde ou doentes sejam vacinados após a melhora dos sintomas”.

Foram enfatizados ainda os conceitos de bem-estar animal e os cuidados para a contenção adequada deles no momento da aplicação, para que seja segura para o aplicador, tutor e animal. Além dos cuidados de higienização na aplicação e no descarte da agulha e seringa descartáveis utilizadas.

A distribuição de vacinas, agulhas e seringas pela Superintendência Regional de Saúde de Varginha aos seus 50 municípios será feita nos dias 19 e 20/6. A retirada na rede de frio seguirá a escala de horários divulgada na reunião para cada localidade.

Por Thayane Viana de Carvalho Lenzi / Imagens: Prints - Thayane Viana e foto Rede de Frio da SRS Varginha - Rosana Ladeira

コメント


bottom of page