top of page
1e9c13_a8a182fe303c43e98ca5270110ea0ff0_mv2.gif

Regional de Saúde discute Atenção Especializada e Casa da Gestante, Bebê e Puérpera em Varginha




Servidores da Superintendência Regional de Saúde (SRS) de Varginha participaram na última quinta-feira (6/6) de uma reunião com representantes da Secretaria Municipal de Saúde (SMS) de Varginha e do Hospital Regional do Sul de Minas (HRSM).

Pela SRS Varginha participaram o superintendente, Luiz Paulo Riceputi Alcântara; a coordenadora de Redes de Atenção à Saúde, Thaís Britto; a referência técnica da Saúde da Mulher, Luciana Pereira; e a referência técnica da Atenção Especializada, Tatiana Pessoa.

Foram feitos alinhamentos sobre a Atenção Especializada e a Casa da Gestante, Bebê e Puérpera (CGBP) em Varginha. Atualmente, os dois serviços são ofertados no mesmo prédio, que pertence ao hospital e fica localizado no mesmo quarteirão, possibilitando assim a proximidade com a maternidade.

Thaís Britto, coordenadora de Redes de Atenção à Saúde, explica que “devido à demanda, já que ambos os serviços devem atender aos seis municípios que compõem a microrregião de Saúde de Varginha e para otimizar os serviços prestados, foi constatada a necessidade de que atuem em sedes diferentes”.

Luciana Pereira ressalta que “a Casa da Gestante, Bebê e Puérpera é uma residência provisória de cuidado à gestação de alto risco para usuárias em situação de risco que tem como objetivo apoiar o cuidado às gestantes, recém-nascidos e puérperas. Por isso, precisa ser um local em que eles se sintam em casa, sem caracterizações de ambiente ambulatorial”. Isso reforça a necessidade de atendimento exclusivo.

O secretário municipal de Saúde de Varginha, Adrian Nogueira Bueno, propôs a João Carlos Ottoni Adell, diretor do Hospital Regional, avaliar junto ao município o aluguel de uma residência para prestar o cuidado às gestantes, puérperas e bebês. Destinando a sede atual para o funcionamento das linhas de Cuidado da Propedêutica de Câncer de Colo de Útero, Pré-Natal de Alto Risco e Criança de Risco da Ampliação da Média Complexidade Ambulatorial, que compõem a atenção especializada.

A equipe da SRS Varginha reforçou que o imóvel a ser locado deverá atender os critérios da Portaria n° 1.020 de 29/05/213 e passar pela vistoria da Vigilância Sanitária.

Para o superintendente da SRS Varginha, a atenção ambulatorial especializada sempre foi um desafio na organização assistencial do Sistema Único de Saúde (SUS) desde o início de suas atividades. Dessa forma, a reunião propiciou alinhamento entre Estado e município, na busca por local adequado para instalação desse serviço. “assim é possível garantir o acesso ao nível secundário de atenção a todos os cidadãos mineiros residentes na microrregião de Saúde de Varginha, contribuindo, ainda, para o aprimoramento da planificação da saúde no território, com integração entre a atenção primária à saúde e o nível secundário especializado de atenção”, conclui Luiz Paulo Alcântara.

Comentários


bottom of page