top of page
1e9c13_a8a182fe303c43e98ca5270110ea0ff0_mv2.gif

Santa Casa passa por adequações para ampliar atendimentos na ala de queimados em MG

Hoje a unidade de São Sebastião do Paraíso atende apenas quem teve até 30% do corpo atingido por fogo.


A Santa Casa de São Sebastião do Paraíso (MG) está em fase de adequações para receber pacientes com queimaduras mais graves. Hoje a unidade atende apenas quem teve até 30% do corpo atingido por fogo.
Desde que foi inaugurada, no começo do ano, a ala de queimados da Santa Casa já recebeu mais de 40 pacientes, mas como o hospital não está habilitado para realizar procedimentos de alta complexidade, tem paciente que ainda precisa ser transferido para outras unidades, com o Hospital João XXIII, em Belo Horizonte. A ala de queimados passa por readequações para ser classificada como tipo 3. Isso significa mais leitos clínicos e de UTI e atendimento ainda mais especializado.
Santa Casa quer habilitar leitos para atender casos graves de queimaduras em São Sebastião do Paraíso, MG — Foto: Reprodução/EPTV
"Por mais que a rede esteja se reorganizando, a gente ainda tem essa dificuldade de encaminhar paciente para Belo Horizonte, porque o João XXIII continua com um volume alto de atendimentos, então a gente fazendo parte dessa rede como tipo 3, assim como eles, a gente vai conseguir dar um alívio para o estado. Apesar de que, nessa movimentação, outros hospitais serão credenciados dentro do estado, no tipo 3 e tipo 2, e também os tipo 1", explicou o superintendente da Santa Casa de São Sebastião do Paraíso, Jean Marco do Patrocínio. Se isso acontecer, a ala de queimados passará a ter 10 leitos clínicos e seis de UTI. O superintendente da Santa Casa acredita que a reforma para atender às exigências será concluída em até dois meses. Além das adequações, as equipes vêm passando por treinamentos.
"A princípio, a gente tem atendido a macrosul inteira e o que a gente tem disponível de leitos tem sido suficiente, mas a proposta do governo do estado é de ampliar a nossa área de abrangência também, de pegar mais um pedaço do estado e a ideia é que nós fiquemos na mesma tipificação do Hospital João XXIII, que é a referência do estado", completou o superintendente.
Para o médico Guilheme Silveira Castro, da Santa Casa, ter um tratamento ainda mais completo significa que os pacientes vão receber um atendimento mais rápido, o que faz toda a diferença.
Santa Casa de São Sebastião do Paraíso (MG) — Foto: Reprodução/EPTV
"Sendo habilitado aqui no hospital é uma grande vantagem pra gente já poder fazer o atendimento da maioria dos casos, os casos que ainda precisarem de uma abordagem mais complexa, a gente conta com o João XXIII. O fato da gente ter esse suporte e o hospital estar se qualificando cada vez mais para o atendimento do queimado influi muito, porque o principal problema que o queimado tem é no primeiro atendimento, ele precisa ser estabilizado e cuidado de forma adequada, senão ele nem consegue fazer o processo de reabilitação futura dele", disse o médico.
A Secretaria de Saúde de Minas Gerais informou que esse processo do convênio entre o Estado e a Santa Casa encontra-se em andamento. O hospital precisa agora enviar alguns documentos que serão analisados.
A secretaria explicou ainda que os hospitais que atendem queimados na região são além da Santa Casa de São Sebastião do Paraíso, a Santa Casa de Poços de Caldas, o Hospital das Clínicas de Itajubá e o Hospital Bom Pastor, em Varginha.
Os pacientes são encaminhados para essas e outras unidades de acordo com o fluxo regulatório.

FONTE:G1

Commentaires


bottom of page