top of page
1e9c13_a8a182fe303c43e98ca5270110ea0ff0_mv2.gif

'Se a gente cavucar, vai encontrar os recursos para devolver dignidade ao povo gaúcho', afirma Lula


O presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) afirmou na quinta-feira (9) que o governo federal “vai cavucar onde tiver dinheiro” para devolver a dignidade ao povo do Rio Grande do Sul, que sofre há mais de uma semana com os efeitos das enchentes.
“A gente nunca tem todo o dinheiro do mundo. Nunca tem. E eu já disse três vezes, não faltará esforço desse governo. Vamos tentar cavucar dinheiro onde tiver dinheiro”, disse.

Na sequência, lembrou que o Supremo Tribunal Federal (STF) e a Caixa Econômica Federal liberaram recursos, respectivamente, R$ 100 milhões e R$ 709 mil para atender o Estado gaúcho.

“Então, se a gente ficar cavucando, a gente vai encontrar os recursos necessários pra gente devolver a dignidade ao povo gaúcho. É isso que nós vamos fazer”.
O Palácio do Planalto anunciou nesta quinta-feira um pacote medidas de mais de R$ 50,9 bilhões para socorrer aos atingidos com as chuvas no Rio Grande do Sul. “A gente não pode permitir que nenhum viés burocrático, mas nenhum viés burocrático possa atrapalhar a urgência das medidas que nós estamos anunciando. E ainda vamos precisar do esforço de todo mundo”, declarou o petista.

As ações incluem: antecipação do pagamento do Bolsa Família e do auxílio gás para 583 mil famílias; antecipação de benefícios como o abono salarial para 705 mil trabalhadores com carteira assinada; a liberação do seguro de desemprego para 140 mil pessoas; e a restituição do Imposto de Renda (IR) para moradores do Estado.

Além disso, há previsão de medidas para produtores rurais, prefeituras gaúchas e o próprio governo estadual. Foi criada ainda uma força-tarefa para acelerar a análise de crédito com o aval da União para os municípios.

"Foram as primeiras medidas de crédito. Isso não termina aqui. Temos que nos preparar porque a gente vai ter tamanho da grandeza dos problemas quando a água baixar e os rios voltarem à normalidade", completou o presidente.

A lista de ações efetivas está na medida provisória (MP) a ser enviada ao Congresso Nacional ainda nesta quinta-feira. A chamada MP da Reconstrução do Rio Grande do Sul tem efeito imediato. Ainda assim, os senadores e deputados terão até 120 dias para votar o texto.

Lula fez o anúncio na presença do presidente da Câmara dos Deputados, Arthur Lira (PP-AL), do presidente do STF, ministro Luís Eduardo Barroso, ministros do governo federal, além de dirigentes e representantes dos bancos públicos.

Renegociação da dívida do Rio Grande do Sul
O presidente Lula informou ainda que está prevista para a próxima segunda-feira (13) entre o ministro da Fazenda, Fernando Haddad, e o governador do Rio Grande do Sul, Eduardo Leite (PSDB), para tratar sobre a dívida do Estado com a União.
Leite tem feito apelo para que a cobrança e juros da dívida sejam suspensos, uma vez que o Estado e 366 municípios, do total de 497, estão em estado de calamidade pública. Segundo dados da secretaria estadual de Fazenda do Rio Grande do Sul, a dívida do Estado com a União está avaliado em quase R$ 93 bilhões, até dezembro de 2023.

“Haddad, pode se preparar porque você vai ter que fazer uma boa negociação com o governador porque eles têm que consertar o Estado”, disse Lula endereçando o recado ao ministro da Fazenda.
E ficou para a próxima terça-feira (14) o anúncio que o governo federal fará para atender diretamente as pessoas atingidas pela tragédia climática no Rio Grande do Sul.
Fonte: O Tempo

Comments


bottom of page