top of page
1e9c13_a8a182fe303c43e98ca5270110ea0ff0_mv2.gif

Valor da cesta básica fica estável em novembro em Varginha




No início deste mês de novembro, os indicadores econômicos apontam para a estabilidade do índice da cesta básica de Varginha, conhecido como ICB-UNIS. Este índice é meticulosamente calculado pelo Departamento de Pesquisa do Grupo Unis em conjunto com o GEESUL (Grupo de Estudos Econômicos do Sul de Minas), e os resultados demonstram que, em comparação com o mesmo período de outubro, o ICB-UNIS praticamente inalterado, com uma variação extremamente pequena de apenas 0,03% dos produtos essenciais na região e é de grande interesse para economistas, consumidores e tomadores de decisões, pois pode influenciar o planejamento financeiro das famílias e as políticas públicas relacionadas à alimentação e bem-estar. atualizações são um recurso relevante para a comunidade, contribuindo para uma compreensão mais abrangente das condições econômicas locais.

Os produtos hortifrutigranjeiros foram os que apresentaram as variações mais significativas, com forte alta na batata e queda nos valores do tomate e banana. Em doze meses, o valor da cesta básica em Varginha apresenta queda de -6,85%. O ICB-Unis é determinado mensalmente a partir de uma metodologia adaptada no DIEESE, consistindo na coleta de preços dos 13 produtos que compõem a cesta básica nacional de alimentos nos principais supermercados da cidade.

No início de novembro, o valor médio da cesta básica nacional de alimentos para o sustento de uma pessoa adulta na cidade de Varginha está em R$587,24. Este valor corresponde a 48,10% do salário mínimo líquido (salário mínimo total menos o desconto do INSS). O trabalhador da cidade de Varginha, que recebe um salário mínimo mensal, precisa trabalhar 97 horas e 52 minutos por mês para adquirir essa cesta de bens alimentícios básicos.

Entre os meses de outubro e novembro, dos 13 produtos pesquisados, cinco apresentaram elevação nos preços médios: Batata (29,45%), Feijão carioquinha (1,57%), Manteiga (0,60%), Carne bovina (0,25%) e Arroz (0,08%). Oito produtos tiveram queda nos preços: Tomate (-5,44%), Banana (-4,25%), Açúcar refinado (-2,98%), Café em pó (-1,86%), Farinha de trigo (-1,83%), Leite integral (-1,75%), Óleo de soja (-0,35%) e Pão francês (-0,04%).

A pesquisa deste mês demonstrou que, com exceção dos hortifrutigranjeiros, todos os demais produtos tiveram variações tênues ou mesmo estabilidade em seus preços.

Cabe destacar como fator positivo o alongamento do período de safra do tomate e da banana, o que tem contribuído para manter seus preços em queda ou estáveis. No entanto, a proximidade da entressafra de alguns produtos, a demanda externa e as questões climáticas (intensificação do El Niño) podem provocar alta nos preços dos produtos alimentícios no curto prazo.

Comments


bottom of page