top of page
1e9c13_a8a182fe303c43e98ca5270110ea0ff0_mv2.gif

Índia segue com buscas pelo 3º dia para resgatar 40 trabalhadores soterrados


Reprodução

Mais de cem socorristas trabalham na terça-feira (14), pelo terceiro dia consecutivo, para tentar salvar 40 trabalhadores soterrados no norte da Índia, e que continuam vivos, após o desabamento de um túnel em construção. O acidente ocorreu na manhã de domingo em um túnel de 4,5 quilômetros no estado de Uttarakhand, nos Himalaias.
As escavadeiras começaram no mesmo domingo a retirar os escombros do local para poder perfurar outro túnel e resgatar os trabalhadores.
"Nosso maior avanço foi ter estabelecido contato e há fornecimento de oxigênio e comida", informou nesta terça à reportagem a principal autoridade civil do distrito de Uttarkashi, Abhishek Ruhela. "Está sendo feito todo o necessário para sua sobrevivência", afirmou.
As equipes de resgate estão bombeando oxigênio e também lhe enviam alimentos pequenos, como frutas secas. A Força Estatal de Resposta aos Desastres (SDRF) informou que nesta terça os socorristas puderam falar com os trabalhadores usando um rádio.
Ranjit Kumar Sinha, um alto funcionário encarregado do enfrentamento de desastres, informou a jornalistas que espera que os trabalhadores sejam resgatados na quarta-feira e afirmou que há oxigênio suficiente para "cinco a seis dias".

Um cilindro de 90 centímetros
Hemant Nayak é um dos trabalhadores do projeto, mas que estava fora do túnel quando desabou. Ele contou à AFP que houve pequenos deslizamentos de terra sobre o túnel, mas que não preocuparam os trabalhadores. "Depois, de repente caíram grandes quantidades de escombros e o túnel foi fechado", relatou.
A empresa estatal de infraestruturas e rodovias indicou que está instalando cilindros de alumínio de 90 centímetros de diâmetro para que os trabalhadores possam ser evacuados.
O túnel que desabou é parte de um grande projeto para conectar as localidades de Silkyara e Dangalgaon, onde ficam dois dos templos hindus mais sagrados, o de Uttarkashi e o de Yamunotri.
A obra é parte de um projeto do primeiro-ministro indiano, Narendra Modi, para melhorar a conexão entre alguns dos santuários hindus mais populares e modernizar o acesso às regiões próximas à fronteira com a China.
Os acidentes em grandes obras de infraestruturas são frequentes na Índia. Ao menos 200 pessoas morreram em janeiro por enchentes repentinas no estado de Uttarakhand, uma catástrofe que os especialistas atribuíram parcialmente a um excessivo desenvolvimento urbano e de infraestrutura.
Fonte: O Tempo

Comments


bottom of page