top of page
1e9c13_a8a182fe303c43e98ca5270110ea0ff0_mv2.gif

CBF anuncia oficialmente Dorival Júnior como novo técnico da seleção brasileira

Treinador será apresentado na tarde desta quinta-feira em coletiva de imprensa na sede da confederação


Dorival Júnior, enfim, foi anunciado pela CBF como novo treinador da seleção brasileira. O técnico já havia comunicado a decisão deixar o São Paulo no último domingo. Ele será apresentado em entrevista coletiva nesta quinta-feira, às 15h (de Brasília), na sede da CBF, no Rio de Janeiro.

Dorival, de 61 anos, será acompanhado pelos auxiliares Lucas Silvestre, que é filho do treinador, e Pedro Sotero, além do preparador físico Celso Rezende.

Principal alvo da CBF depois da demissão de Fernando Diniz, Dorival Júnior recebeu os primeiros contatos de Ednaldo nos últimos dias e gostou do que ouviu. O técnico sempre teve o sonho de treinar a Seleção e ficou balançado com a oportunidade.

Dorival Junior aparece sorridente em reapresentação do São Paulo — Foto: Divulgação
Dorival Júnior substitui Fernando Diniz, que ficou na Seleção por apenas seis jogos - com duas vitórias, um empate e três derrotas, deixando o Brasil na sexta posição das Eliminatórias. Ele virou alvo da CBF depois que Ednaldo Rodrigues voltou ao comando da confederação, na última quinta-feira.

A carreira

Natural de Araraquara, no interior paulista, Dorival Júnior foi volante durante a carreira como jogador, ganhando projeção nas passagens por Grêmio e Palmeiras, no fim dos anos 80 e 90.

Como treinador, passou por Ferroviária, Figueirense, Fortaleza, Avaí, Juventude, Criciúma, Sport, São Caetano, Cruzeiro, Coritiba, Vasco, Santos, Atlético-MG, Internacional, Flamengo, Palmeiras, Fluminense, Athletico, Ceará e São Paulo.

As principais conquistas foram um título da Copa Libertadores e três da Copa do Brasil, além de um da Série B.

Foto: Paula Reis/Flamengo
Entenda a briga jurídica na CBF

Recolocado na presidência na última quinta-feira, por decisão do Supremo Tribunal Federal, Ednaldo tinha sido destituído do cargo no dia 7 de dezembro, como determinado pelo Tribunal de Justiça do Rio de Janeiro. Desde então, a entidade vive dias turbulentos nos bastidores (houve até a possibilidade de uma nova eleição ser marcada para definir o substituto de Ednaldo).

Nesta semana, uma comitiva da Fifa visitou a CBF e declarou apoio a Ednaldo. Emílio García, diretor jurídico da entidade máxima do futebol, reiterou que estão "contentes e aliviados com a decisão do Supremo Tribunal".

No mesmo dia, o presidente da CBF recebeu presidentes de federações em encontro que serviu para lavar roupa suja do clima eleitoral das últimas semanas.

Após quatro horas de reunião, a tensão foi amenizada.

FONTE:GE

Comentarios


bottom of page