top of page
1e9c13_a8a182fe303c43e98ca5270110ea0ff0_mv2.gif

Extrema segue na liderança com o maior PIB do Sul de Minas; Pouso Alegre registra maior crescimento

Dados referentes ao ano de 2021 foram divulgados pela Fundação João Pinheiro.


Extrema, Pouso Alegre, Poços de Caldas e Varginha (MG) seguem como as cidades com os maiores valores do PIB (Produto Interno Bruto) no Sul de Minas. No estado, 21 cidades concentram a metade do PIB, que é a soma de todos os bens e serviços finais produzidos.

Os novos dados foram divulgados pela Fundação João Pinheiro e levam em consideração o ano de 2021. Em Minas Gerais, a compilação dos dados é coordenada pelo IBGE em parceria com institutos estaduais, como a Fundação João Pinheiro.

O PIB de Minas Gerais é de R$ 857 bilhões. Metade de todo esse dinheiro está concentrado em 21 cidades. No Sul de Minas, quatro aparecem nessa lista:

Confira os 10 maiores PIBs do Sul de Minas:

  • 1º Extrema - R$ 13.651.225,14

  • 2º Pouso Alegre - R$ 10.720.093.38

  • 3º Poços de Caldas - R$ 8.531.691,91

  • 4º Varginha - R$ 8.093.809,94

  • 5º Alfenas - R$ 3.485.866,71

  • 6º Itajubá - R$ 3.288.440,96

  • 7º Passos - R$ 3.024.708,97

  • 8º Três Corações - R$ 2.959.361,22

  • 9º Lavras - R$ 2.941.930,86

  • 10º Guaxupé - R$ 2.806.365,84


Em relação aos últimos dados que tinham sido divulgados em 2020, destaque para Pouso Alegre, que apresentou crescimento de 31,4% no PIB. Já Varginha apresentou crescimento de 29,6% e Extrema, 18,3%. Poços de Caldas, entre as quatro cidades com os maiores PIBs, foi a que apresentou menor crescimento: 6,3%.

Vista aérea de Extrema, MG — Foto: Prefeitura Municipal de Extrema / Divulgação

PIB Per Capita


Extrema também é destaque no PIB per capita, que é a divisão do PIB do município pelo número de moradores.

Conforme os dados divulgados, em 2021, a cidade tinha uma população estimada em cerca de 37 mil habitantes, o que dá uma renda de R$ 362 mil por habitante. A cidade tem o 6º PIB per capita do estado.

"Extrema está localizada no extremo-sul do estado e muito próximo de grandes mercados consumidores, como São Paulo e região metropolitana, Campinas e região metropolitana, São José dos Campos, uma região muito rica. Boa parte dessas indústrias, desse comércio, tem sido transferido para Extrema, porque é um local mais barato, um terreno mais barato, inclusive de impostos, mas a distribuição desse mercado, o alvo, é São Paulo e não propriamente Minas Gerais", explicou o professor de economia Fernando Batista Pereira.

Confira os 10 maiores PIBs per capita do Sul de Minas:

  • Extrema - R$ 362.591,97

  • São José da Barra - R$ 118.358,54

  • Itapeva - R$ 85.067,72

  • São Sebastião da Bela Vista - R$ 79.135,44

  • Itamonte - R$ 74.613,56

  • Ijaci - R$ 74.228,52

  • Pouso Alegre - R$ 69.478,81

  • Cambuí - R$ 62.049,99

  • Varginha - R$ 58.817,87

  • 10º Guaxupé - R$ 53.726,80


Crescimento acima da média nacional


Segundo o Grupo de Estudos Econômicos do Sul de Minas Gerais, departamento de pesquisa do Grupo Unis-MG, o PIB do Sul de Minas cresceu 12,63% em 2021 em comparação a 2020, o que representa um crescimento maior que o índice nacional, que foi de 4,6% no mesmo ano.

Conforme o grupo, todas as riquezas produzidas pelo Sul de Minas em 2021 totalizaram R$ 111,03 bilhões contra R$ 99,7 bilhões de 2020.

Ainda conforme o estudo, a participação no PIB regional das 10 maiores economias sul-mineiras é de 53,59%. Ou seja, mais da metade da produção do Sul de Minas se concentra em apenas 10 municípios.

O município de Estiva dobrou seu PIB real de 2020 para 2021.

FONTE:G1


Comments


bottom of page