top of page
1e9c13_a8a182fe303c43e98ca5270110ea0ff0_mv2.gif

Jovens lamentam morte de amigo em ataque em escola de MG: ‘nunca fez nada’

Adolescentes lembram de momentos com Leonardo Willian da Silva; vítima é lembrada como tímida, mas brincalhona e sonhadora



Adolescentes lembram de momentos com Leonardo Willian da Silva, vítima de ataque em escola de MG — Foto: Rodney Costa/ O Tempo


Um rapaz quieto e ao mesmo tempo brincalhão. “Gente boa” e sonhador. Assim foi descrito Leonardo Willian da Silva, de 14 anos, morto a facadas em ataque na Escola Profissional Dom Bosco, em Poços de Caldas, nessa terça-feira (10 de outubro). As características foram lembradas carinhosamente pelos amigos, também adolescentes e estudantes, que ainda assimilam o trauma. Uma homenagem ao Leonardo está sendo planejada no teatro da escola. O adolescente Gabriel dos Anjos, de 15, foi um dos colegas que não deixou de comparecer ao enterro de Leonardo no Velório Municipal de Poços de Caldas na tarde desta quarta-feira (11 de outubro).

Gabriel estudou com a vítima desde os quatro anos e coleciona momentos com ela que vão ficar para sempre. “A gente era muito próximo, é difícil de acreditar. Ele nunca fez nada contra ninguém, não fez nada para receber um tratamento desse. Eu lembro quando a gente se conheceu, lembro de nós sentados durante o recreio, lanchando e brincando. Ele era muito bom”, diz, emocionado.
Outro que estudou com Leonardo por três anos foi o Lucas de Oliveira Pádua, de 14 anos. Lucas vai manter na memória o jeito do amigo, quieto, mas especial. “O que eu vou guardar dele é o seu carisma. Ele era muito quieto, não tinha motivo para sofrer assim. Foi horrível e está sendo muito ruim, ainda está caindo a ficha”, lamenta. “Na última vez que saímos, fomos fazer uma prova para uma bolsa de estudos. Estávamos muito animados, foi um dia muito feliz”, continua.
Segundo os colegas, Leonardo tinha o sonho de se desenvolver no ramo da internet. “Ele era muito inteligente. Tinha uma conta famosa em rede social e queria seguir carreira nisso. Era muito inteligente e brincalhão!”, conta a jovem Isabela Carvalho Moreira, de 14 anos, que estudou com as vítimas nos últimos dois. Sonhador também foi a característica lembrada pelo estudante Alexandre Júlio Vieira, de 15 anos, para descrever Leonardo. “Esse ataque comoveu muito a gente. Leonardo estava no lugar errado na hora errada. Era uma pessoa muito boa, o único sonho dele era ser lembrado. E agora estamos todos aqui”, desabafa.
Entenda
O ataque ocorreu na saída do turno da tarde, por volta das 17h. O adolescente entrou armado com uma faca e atacou as vítimas. A Polícia Militar foi acionada via 190 e, ao chegar à escola, a corporação encontrou o responsável pelo ataque contido por populares. Quatro pessoas foram atingidas.
Um adolescente de 14 anos, chegou a ser socorrido para a Santa Casa de Poços de Caldas, mas deu entrada com quadro de parada cardíaca. Foram feitas manobras de reanimação cardiopulmonar por cerca de uma hora, mas ele não respondeu à intervenção e teve o óbito confirmado. Outros dois de 13 anos, sendo uma menina e um menino, passaram por cirurgia e permanecem internados em estado grave na Unidade de Terapia Intensiva (UTI) da Santa Casa de Poços de Caldas.
A quarta vítima, a adolescente de 17 anos, também está no hospital em observação, com quadro estável e sem risco de evolução para óbito.
FONTE: O TEMPO

Комментарии


bottom of page