top of page
1e9c13_a8a182fe303c43e98ca5270110ea0ff0_mv2.gif

Natal é época de renovação e também da economia


Foto: Willian Dias


Natal é tempo de perdoar, agradecer e valorizar o que realmente importa na vida. Mas se o espírito natalino puder representar também nesta época do ano mais empregos, dinheiro no bolso e novos empreendimentos revitalizando a economia do Estado, melhor ainda.

Pensando nisso, os participantes da Comissão de Turismo e Gastronomia da Assembleia Legislativa de Minas Gerais (ALMG) defenderam, em audiência pública na tarde desta quinta-feira (7/12/23), o potencial dos eventos natalinos para o desenvolvimento do turismo no Estado.

O debate atende a requerimento de autoria do presidente da comissão, deputado Mauro Tramonte (Republicanos). Citando como exemplo a ser seguido o “Natal Luz” promovido por Gramado, município da Serra Gaúcha, ele lembrou que o chamado “turismo de Natal” já é um sucesso em todo o País.

O parlamentar disse que Minas Gerais pode se destacar ainda mais pelo fato de o Natal adicionar aspectos culturais típicos do Estado, como as Folias de Reis, de tradição cristã, além, claro, da gastronomia natalina. E isso num período de mais estímulo ao consumo, inclusive com o pagamento do 13º salário, férias escolares e até mesmo a chegada do verão.

“É uma época de solidariedade, mas isso não impede que o Natal também possa representar a oportunidade de mais desenvolvimento econômico. É na época de Natal que ficam ainda mais evidentes as desigualdades, que uns têm a mesa farta, enquanto outros não tem quase nada.”

Dep. Mauro Tramonte

Nessa linha, Mauro Tramonte, que comandou a reunião, elogiou a segunda edição do “Natal da Mineiridade”, projeto desenvolvido pela Secretaria de Estado de Cultura e Turismo (Secult) e da Fundação Clóvis Salgado, com o apoio da Cemig e outros parceiros, que reúne informações e apoia mais de 600 eventos natalinos em Belo Horizonte e outros 450 municípios do Estado, mais do que o dobro no ano passado (220).

Em sua apresentação, o subsecretário de Turismo Sérgio de Paula e Silva Júnior lembrou que somente o Natal, no ano passado, representou um incremento de 60% no fluxo turístico no Estado, segundo avaliação da Secult, totalizando cerca de R$ 2,5 milhões de visitantes internos e externos. Esses números em 2023 já seriam 80% e 3,2 milhões, respectivamente.

“Houve uma época em que a vocação do Estado era o turismo de negócios e em dezembro alguns hotéis até fechavam para reforma. Hoje conseguimos recolocar Minas Gerais entre os principais destinos do Brasil, e o Natal tem contribuído muito para isso”, destacou Sérgio de Paula.

Ele garantiu que, segundo números do IBGE dos últimos 12 meses, Minas Gerais já ultrapassou São Paulo e é o segundo maior destino turístico do País. E ainda de acordo com ele, a mudança na legislação do ICMS para estimular o turismo deve dar novo estímulo ao setor a partir de 2024.

“Em Minas Gerais, mais do que uma festa em que as cidades se enfeitam e investem em uma iluminação especial, cada região usa também suas manifestações culturais no Natal, como é o caso do congado.”
Sérgio de Paula - Subsecretário de Turismo.

Parceiro do governo estadual no “Natal da Mineiridade”, a Cemig atualmente só aprova projetos culturais em Minas Gerais, conforme garante o diretor-adjunto de Relações Institucionais, João Paulo Menna Barreto de Castro Ferreira. De quase R$ 12 milhões aplicados em 39 projetos em 2017, neste ano são cerca de R$ 110 milhões em 300 iniciativas.

Dessas últimas, segundo ele, 19 municípios receberão em torno de R$ 8 milhões em projetos ligados diretamente ao Natal, sendo R$ 4,6 milhões no interior do Estado, números que poderiam ser ainda maiores. “A Cemig tem o maior orgulho de ser a maior incentivadora da cultura em Minas Gerais. Mas nossa grande dificuldade ainda é receber projetos do interior do Estado na forma que a legislação de incentivo cultural exige”, aponta o executivo.
Fonte: ALMG

Comments


bottom of page