top of page
1e9c13_a8a182fe303c43e98ca5270110ea0ff0_mv2.gif

Páscoa 2024: Mineiros esperam alta de 17% nas vendas




Os empresários do comércio varejistas de Minas Gerais, estão otimistas com as vendas para a Páscoa. Conforme o Núcleo de Pesquisa e Inteligência da Fecomércio MG, 75,0% dos comerciantes varejistas do segmento alimentício, acreditam que as vendas serão melhores ou iguais ao último ano. Entre os principais motivos que levam essa expectativa de vendas melhores, está o otimismo/esperança (33,3%), ações da loja (25,4%), consumidor mais confiante (17,5%) e aquecimento do comércio (15,95). A data comemorativa tem impacto positivo para 37,5% do segmento alimentício do varejo.

Até a finalização da pesquisa, 41,5% dos comerciantes impactados pela data, já haviam iniciado as vendas de Páscoa. De acordo com eles, os produtos com maior saída, serão:

Caixa de bombom (23,9%)
Ovo de Pascoa (22,5%)
Barra de Chocolate (9,9%)
Carnes (8,5%)
Peixes (8,5%)
Doces, bolos e bebidas de chocolate (4,9%)
Ovos de galinha (4,9%)
Tíquete médio esperado
O tíquete médio a ser consumido no ano de 2024 em itens da Páscoa deve superar a pascoa de 2023 em 17,4%, conforme as informações prestadas pelos empresários do segmento alimentício do comércio varejista do estado mineiro.
O valor médio a ser gasto no período é de R$ 89,90, segundo os empresários impactados pela data e responderam o intervalo médio que esperam vender no período por consumidor. Já o período de Páscoa do último ano mostrou que o valor médio esperado de venda foi de R$ 76,60 reais. Vale destacar que em torno de 20% dos empresários impactados pela data, em ambos os anos analisados, não quiseram pontuar o valor médio esperado de venda por consumidor.

Ao inferir sobre as vendas pela internet, 44,5% dos empresários impactados pela data, adotam o meio para atender as demandas dos seus clientes, enquanto os outros 55,5% só realizam vendas de forma offline. Os empresários que realizam vendas por meio da internet adotam os seguintes canais: Instagram (42,9%), WhatsApp (38,3%), Facebook (18,2%) e site próprio (0,6%).

コメント


bottom of page