top of page
1e9c13_a8a182fe303c43e98ca5270110ea0ff0_mv2.gif

Redes sociais são as principais ferramentas de vendas do comércio virtual em Minas Gerais




O departamento de Estudos Econômicos da Fecomércio MG divulga pesquisa que busca captar a adesão, as estratégias e as tendências a serem adotadas pelos empresários do comércio varejista do estado de Minas Gerais em relação ao mercado de vendas virtuais. A ida para o e-commerce por exigência do cliente foi citada por 56,3% das empresas que atuam de modo virtual.

A pesquisa traça um painel do e-commerce em todas as regiões do estado e entrevistou representantes de 406 empresas entre os dias 01 e 14 de setembro. As participantes têm entre dois e 50 anos de funcionamento.

Entre as empresas consultadas, pouco mais de 20% trabalham com as vendas online, o que representa menos da metade verificada em 2022. Ainda assim marcam presença online 56,7% das varejistas.

A recusa da maior parte das empresas entrevistadas em trabalharem com o comércio online é explicada pela preferência pelo modelo presencial, pelo tamanho da empresa e porque não têm intenção de vender virtualmente.
As vendas virtuais em Minas acontecem desde cinco anos atrás e só 17,5% estão no e-commerce há mais de cinco anos.

Entre as empresas que adotaram as vendas online, a dificuldade com mão de obra especializada é apontada como principal desafio na gestão do e-commerce, seguido pela concorrência e pela logística. Por outro lado, mais da metade das entrevistadas com e-commerce dizem não ter problemas com as vendas virtuais.

As redes sociais: Instagram, Facebook e Messenger são a opção de venda de 85% e metade das empresas usa o Whatsapp Business. Mais de 50% das empresas vendem fora de suas cidades e só 5% comercializam fora do país.

Olhar Econômico, Gabriela Martins – Economista da Fecomércio MG
O e-commerce se torna cada vez mais uma realidade para o comércio. Essa modalidade exerce um papel importante e crescente no cenário varejista, trazendo consigo uma gama de fatores positivos, tais como um maior alcance de clientes, a conveniência, a facilidade nas compras e a pesquisa de preços, além da possibilidade de uma maior oferta de produtos, sem as limitações físicas de espaço de armazenamento.

Atualmente, 56,7% das empresas do comércio varejista de Minas Gerais possuem presença online. Esse valor é superior ao observado em 2022 (55,2%), o que reforça, aos poucos, o crescimento da presença do setor nos meios digitais.

Embora existam vários impactos positivos, o e-commerce traz consigo diversas dificuldades na rotina de gestão. A falta de mão de obra especializada,
concorrência, logística, estoque e o marketing são uns dos mais diversos pontos alegados pelos empresários. Frente a isso, observamos uma queda no volume de empresas que realizavam suas vendas por meios digitais. Em 2023, apenas 35,6% das empresas que possuem presença online vendiam seus produtos pela internet. Enquanto em 2022, este valor chegou a ser de 74,9%.

A demanda do consumidor, as transformações decorrentes da pandemia e o aumento da capilaridade se destacam entre os fatores positivos para as empresas buscarem sua participação em meio digital. Apesar disso, os estabelecimentos que não possuem presença online justificam essa ausência de vendas por preferirem o modelo presencial, pelo tamanho da empresa e pela falta de tempo para coordenar as ações necessárias ao meio digital.

É certo a importância do e-commerce para o comércio varejista e, se traçada as estratégias corretas, esta modalidade serve como um impulsionador das vendas.
Não obstante, reconhecemos também as datas comemorativas como de extrema importância para o setor. Os dois fatores acrescidos à uma boa estratégia de marketing, de precificação e vendas podem gerar não apenas o aumento das vendas em períodos específicos do ano, mas também a fidelização de clientes.

Desta forma, destacamos a comemoração do dia do cliente, que passou a compor o calendário varejista nos últimos anos. O comércio depende dos clientes para o seu sucesso e a data nasceu para homenagear e considerar a importância do público para as empresas.

O e-commerce, por sua vez, permite a melhor disseminação e maior contato com a clientela. O Dia do Cliente é uma oportunidade para as empresas do comércio varejista fortalecerem o relacionamento com o público e investir nas vendas por meio de estratégias que consigam trazer efeitos positivos não apenas para o campo digital, mas também para o presencial.

Sobre a Fecomércio MG
A Federação do Comércio de Bens, Serviços e Turismo de Minas Gerais é a maior representante do setor terciário no estado, atuando em prol de mais de 740 mil empresas mineiras. Em conjunto com a Confederação Nacional do Comércio (CNC), Sesc, Senac e Sindicatos Empresariais, a Fecomércio MG atua junto às esferas pública e privada para defender os interesses do setor de Bens, Serviços e Turismo, a fim de requisitar melhores condições tributárias, celebrar convenções coletivas de trabalho, disponibilizar benefícios visando o desenvolvimento do comércio no estado e muito mais.

Kommentare


bottom of page