top of page
1e9c13_a8a182fe303c43e98ca5270110ea0ff0_mv2.gif

Coluna Agenda 21 - 05/04/2024




E A DENGUE?


Mal “suspiramos” aliviados com a redução das restrições sociais nos cuidados preventivos da Covid, ainda presente em nosso meio, nos deparamos com os noticiários recentes sobre o aumento de casos de dengue em nossa região.
A disseminação da variante JN.1 dentre outras e a temporada de calor e chuvas intensas contribuíram para o aumento dessas duas doenças nos últimos meses.
A convivência desses 2 vírus é preocupante pois com mais gente doente corremos o risco de ver novamente hospitais e unidades de saúde lotados.

Fora que não é fácil distinguir os dois quadros em casa: eles têm sintomas parecidos. A dengue causa febre alta repentina, manchas pelo corpo após o 5º dia e um mal estar geral. Dificilmente a pessoa terá sintomas no trato respiratório que, por sua vez, é o foco da Covid-19. E a automedicação – que já não é indicada para nenhuma doença – se torna especialmente perigosa para casos de dengue, pois é proibido o uso de anti-inflamatórios, como ácido acetilsalicílico (ou AAS), ibuprofeno e diclofenaco, devido ao risco de sangramento.

Evitar a Covid e a dengue são desafios completamente diferentes. Contra o novo coronavírus podemos contar com as vacinas, que impedem casos graves e mortes, e também com o uso de máscara, a higienização das mãos e o distanciamento.

A dengue, diferentemente da Covid, não é transmitida por meio do contato com pessoa doente, nem por meio de água ou alimentos contaminados. A transmissão do vírus da dengue depende da circulação do Aedes aegypti. Por isso, combater o mosquito é a melhor forma de prevenção.

Veja a seguir algumas formas de combater o Aedes aegypti:
- Não deixe acumular água no quintal, nos pratos das plantas e em outros recipientes como pneus e garrafas por exemplo;
- Tampe bem as caixas d’água;
- Piscinas devem ser higienizadas com regularidade, e cobertas de lona para manter o tratamento com o cloro. As bordas são um convite para as larvas e precisam estar sempre limpas;
- Previna-se com repelentes e inseticidas;
- Fique atento a calhas e lajes que possam servir de reservatórios de água;
- Cuide bem do lixo. Não deixe resíduos a céu aberto e denuncie entulhos abandonados nos bairros.

A limpeza não se restringe só às residências. É importante ficar atento a possíveis focos de água parada na escola, no trabalho e em outros locais frequentados diariamente.

A dengue é uma doença que pode ser assintomática ou ainda ter sintomas leves e até mesmo graves, quando pode ser responsável pela morte do indivíduo. Portanto, como a Covid, a dengue é uma doença que não deve ser negligenciada e sua prevenção depende da responsabilidade coletiva da população, onde a atitude individual pode impactar significativamente no bem estar do outro.


Engº Alencar de Souza Filgueiras
Presidente do Fórum Agenda 21 Local
Presidente do Conselho Fiscal IBAPE-MG
Presidente da Comissão de Ética do CREA-MG

Comments


bottom of page