top of page
1e9c13_a8a182fe303c43e98ca5270110ea0ff0_mv2.gif

Coluna Agenda 21 - 20/10/2023




No dia 15 do corrente mês deveria ter sido comemorado com bastante abrangência na sociedade devido a sua importância para o crescimento intelectual do ser humano - pois foi o dia do “professor - mestre”, este profissional que é muito importante para a construção do saber, mas que, nem sempre, tem recebido a valorização devida.

Esta data 15 de outubro não foi escolhida por acaso. Pois esta data é, tradicionalmente, o dia consagrado à educadora Santa Teresa de Ávila, freira carmelita, mística e santa católica do século XVI, importante por suas obras sobre a vida contemplativa por meio da oração mental e por sua atuação durante a Contra-reformas.

Este dia foi declarado feriado escolar o dia do professor a partir do Decreto nº 52.682 de 14 de outubro de 1963, aprovado pelo Presidente João Goulart e pelo então ministro da Educação Paulo de Tarso.

Atualmente esta categoria tem enfrentado muitos desafios. A falta de reconhecimento da importância do profissional da educação tem levado a uma constante insatisfação da categoria, que, mal remunerada, tem enfrentado o desafio de permanecer no magistério diante de condições adversas. Esses profissionais que mereciam sempre ser homenageados são desrespeitados em seus direitos e às vezes dentro até da própria sala de aula pelos alunos.

Não podemos esquecer extrema importância dos professores, pois todo bom médico, engenheiro, psicólogo, advogado etc., tiveram bons professores para se tornarem o profissional que são hoje em dia.

Muitos professores permanecem nesta categoria escolhida como ofício por amor e não por nela enxergar oportunidades de crescimento profissional e pessoal.
É importante comemorarmos o que já foi conquistado, mas, principalmente, também para conscientizar a população e autoridades sobre o valor de professoras, professores, mulheres e homens que difundem o conhecimento e permitem que meninas e meninos de todo os País possam trilhar caminhos que levem a um futuro promissor.

Principalmente nos dias atuais aonde tem prevalecido conhecimento, inovação a fim de que possamos enfrentar este cenário mercadológico concorrido e globalizado.

O professor ainda é insubstituível e provavelmente continuará a ser no futuro. Mas apenas se resgatado o papel do educador como alguém que pode transformar a vida do aluno é que a profissão recuperará sua valorização social e consequentemente a devida recompensa financeira.

A qualidade da educação está fortemente aliada à qualidade da formação dos professores, mas a educação não é uma via de mão única. É muito importante a participação de todos no processo de construção educacional, da família em especial, que deve atuar como parceira e apoiadora do professor no exercício de sua “missão”, pois “se a escola é a segunda casa, a família é a primeira escola”.

Amemos e respeitemos nossos professores, pois eles são a primeira ponte que nos liga de nossa casa para o mundo em que iremos afinal viver.

Cito a mensagem da nossa sempre estimada Cora Coralina: “Feliz aquele que transfere o que sabe e aprende o que ensina”.



Engº Civil Alencar de Souza Filgueiras
Presidente do Fórum da Agenda 21 Local
Presidente do Conselho Fiscal do IBAPE/MG
Contato: evolucao@uai.com.br

Comments


bottom of page