top of page
1e9c13_a8a182fe303c43e98ca5270110ea0ff0_mv2.gif

Vídeo mostra quando advogada abraça ex-sogro minutos antes de envenená-lo, diz polícia

Polícia Civil divulgou conclusão do caso da advogada suspeita de matar Leonardo Pereira Alves e Luzia Alves. Conforme polícia, Amanda Partata matou os dois após não aceitar fim de relacionamento.


Vídeo mostra quando advogada abraça ex-sogro minutos antes de envenená-lo — Foto: Divulgação/Polícia Civil
Um vídeo mostra o momento quando a advogada Amanda Partata abraçou o ex-sogro minutos antes de envenená-lo (assista abaixo). A mulher está presa suspeita de matar Leonardo Pereira Alves e Luzia Alves após não aceitar o fim do relacionamento com o filho de Leonardo.

Vídeo mostra quando advogada chega à casa da família e abraça ex-sogro. Divulgação/PCGO


Em nota, a defesa de Amanda Partata informou que se manifestará nos autos processuais.

De acordo com o delegado Carlos Alfama, no dia do crime Amanda comprou o café da manhã para a família e até uma orquídea para a dona Luzia. Ao chegar no local com os itens, ela foi recebida com abraço pelo ex-sogro e entregou para ele os alimentos.

"Ela é recebida com abraço pela pessoa que mataria poucos minutos depois. Ela permaneceu na casa de 9h16 até por volta de 12h", explicou o delegado.

O marido de Luzia tirou uma foto de Amanda Partata na mesa de café da manhã. "Ele registrou a foto da Amanda na mesa de café da manhã. De acordo com o relato dele, na hora que ele tirou a foto ela falou 'um beijo para a vozinha', mandando um beijo para dona Luzia, que ela mataria naquele momento", afirmou o delegado.

Segundo a Polícia Civil, Amanda Partata vai responder por duplo homicídio e tentativa de homicídio. Ao chegar à delegacia, no dia em que foi presa, a advogada negou ter cometido o crime. Na ocasião, conforme a polícia, ela fingiu passar mal durante o depoimento e ficou nervosa quando o delegado pediu o celular dela. Já no segundo interrogatório, ela ficou em silêncio e, de acordo com o investigador, não demostrou arrependimento.

Laudo da Polícia Científica


O laudo da Polícia Científica apontou que a substância usada para matar mãe e filho, Luzia Tereza Alves e Leonardo Pereira Alves, foi colocada em potes de doces, em Goiânia. Segundo a perícia, a substância ingerida pelas vítimas causou uma intoxicação por envenenamento.

A Polícia Científica disse ainda que dois potes estavam com a substância, que é considerada um veneno 'potente' e que foi usado em grande quantidade. Mesmo em pequenas doses, a substância é tóxica e letal, e não tem sabor nem odor, ou seja, não é possível ser percebida.

Desabafo


O médico Leonardo Pereira Alves Filho, ex da advogada e filho de uma das vítimas, se pronunciou sobre o caso pela primeira vez na tarde de terça-feira (26), após prestar depoimento à polícia. Ao lamentar a morte do pai e da avó, ele disse nunca ter imaginado algo que justificasse "tamanha brutalidade".

"A gente nunca imaginava qualquer coisa que justificasse tamanha brutalidade. E a gente tá vivendo nosso luto. Tem sido muito difícil", desabafou o médico.

Prisão


Conforme a Polícia Civil, na manhã de domingo do dia 17 de dezembro, Amanda Partata foi até a casa da família do ex-namorado levando um café da manhã, com pão de queijo, biscoitos, suco e até bolos de pote de uma famosa doceria de Goiânia.

A suspeita foi presa temporariamente na noite de quarta-feira (20) e passou pela audiência na quinta (21). À polícia e durante a chegada na delegacia, Amanda negou a autoria do crime. A Justiça negou o pedido de liberdade feito pelos advogados.

FONTE:G1

Comments


bottom of page