top of page
1e9c13_a8a182fe303c43e98ca5270110ea0ff0_mv2.gif

Censo 2022: Sul de Minas ganha 167 mil novos moradores em 12 anos, aponta IBGE




O Sul de Minas ganhou 167.640 novos moradores nos últimos 12 anos. É o que apontam os dados do Censo 2023, divulgados nesta quarta-feira (28) pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE).


Conforme o IBGE, em 2010 o Sul de Minas tinha uma população de 2.730.105 moradores. Já conforme o último censo, essa população subiu para 2.897.745 habitantes, um aumento de 6,14%. Extrema (MG) é a cidade que apresentou maior crescimento na região em relação ao Censo de 2010: +87,01%. A cidade pulou da 19ª para a 11ª colocação no ranking das maiores cidades do Sul de Minas.


Cabo Verde (MG) é a cidade que mais perdeu moradores. Em 2010, o município tinha 13.823 habitantes. Agora, conforme o IBGE, tem 11.410 moradores, uma queda de 17,46%.

Carvalhópolis (MG) é a única cidade da região que manteve no Censo de 2023 a mesma população registrada pelo IBGE em 2010: 3.341 habitantes.


Das 164 cidades da área de cobertura da EPTV Sul de Minas, Afiliada Rede Globo, 112 tiveram aumento na população, uma manteve o mesmo número e 51 perderam habitantes. Confira abaixo mais dados do Censo 2022 no Sul de Minas:

Maiores cidades do Sul de Minas:

  • Poços de Caldas: 163.742

  • Pouso Alegre: 152.212

  • Varginha: 136.467

  • Passos: 111.939

  • Lavras: 104.761

  • Itajubá: 93.073

  • Alfenas: 78.970

  • Três Corações: 75.485

  • São Sebastião do Paraíso: 71.796

  • Três Pontas: 55.259


Menores cidades do Sul de Minas:

  • Consolação: 1.563

  • Seritinga: 1.819

  • Serranos: 1.990

  • Senador José Bento: 2.068

  • Passa-Vinte: 2.233

  • São Sebastião Rio Verde: 2.300

  • Wenceslau Braz: 2.356

  • Olímpio Noronha: 2.555

  • Fama: 2.578

  • Ingaí: 2.580


Cidades que mais cresceram em relação ao Censo 2010:

  • Extrema: 87,01%

  • Espírito Santo do Dourado: 49,27%

  • Itapeva: 46,49%

  • São Sebastião Bela Vista: 29,08%

  • Toledo: 25,16%

  • Camanducaia: 23,80%

  • Delfinópolis: 22,94%

  • Bom Repouso: 20,96%

  • Juruaia: 19,98%

  • Ijaci: 19,53%


Cidades que mais encolheram em relação ao Censo 2010:

  • Cabo Verde: -17,46%

  • Fortaleza de Minas: -15,15%

  • Liberdade: -11,39%

  • Ibiraci: -10,09%

  • Conceição Barra de Minas: -9,96%

  • Consolação: -9,50%

  • Santana do Jacaré: -8,53%

  • Santana da Vargem: -8,19%

  • Wenceslau Braz: -7,72%

  • Capetinga: -7,43%


Cidades que mais cresceram em números absolutos de moradores:

  • Extrema: + 24.883

  • Pouso Alegre: +21.597

  • Varginha: +13.386

  • Lavras: +12.561

  • Poços de Caldas: +11.307

  • São Sebastião do Paraíso: +6.816

  • Passos: +5.649

  • Alfenas: +5.196

  • Camanducaia: +5.017

  • Itapeva: +4.028


Cidades que mais reduziram em números absolutos de moradores:

  • Cabo Verde: -2.413

  • Campos Gerais: -1.495

  • Ibiraci: -1.228

  • Machado: -904

  • Nepomuceno: -715

  • Pedralva: -707

  • Caxambu: -649

  • Fortaleza de Minas: -621

  • Liberdade: -609

  • Candeias: -594


Cidades que mais subiram posições no ranking das maiores cidades da região:

  • Itapeva (+24): Era 87ª cidade da região em 2010, é 63ª agora

  • Espírito Santo Dourado (+24): Era 132ª em 2010, é 108ª agora

  • Toledo (+13): Era 113ª cidade em 2010, é 100ª agora

  • São Sebastião Bela Vista (+13): Era 124ª cidade em 2010, é 111ª agora

  • Bom Repouso (+12): Era 76ª cidade em 2010, é 64ª agora

  • Delfinópolis (+11): Era 101ª cidade em 2010, é 90ª agora

  • Ijaci (+11): Era 112ª cidade em 2010, é 101ª agora


Cidades que mais perderam posições no ranking das maiores cidades da região:

  • Cabo Verde (-14): Era 57ª cidade em 2010, é 71ª agora

  • Capetinga (-13): Era 97ª cidade em 2010, é 110ª agora

  • Santana da Vargem (-11): Era 95ª cidade em 2010, é 106ª agora

  • Pedralva (-11): Era 69ª cidade em 2010, é 80ª agora

  • Ibiraci (-11): Era 65ª cidade em 2010, é 76ª agora

  • Fortaleza de Minas (-10): Era 134ª em 2010, é 144ª agora


Censo do IBGE

O Censo é uma pesquisa realizada pelo IBGE para fazer uma ampla coleta de dados sobre a população brasileira. Ela permite traçar um perfil socioeconômico do país, já que conta os habitantes do território nacional, identifica suas características e revela como vivem os brasileiros.


Todos os 5.568 municípios brasileiros, mais dois distritos (Fernando de Noronha e Distrito Federal), num total de 5.570 localidades, receberam visita de recenseadores. Segundo o IBGE, foram visitados 106,8 milhões de endereços em 8,5 milhões de quilômetros quadrados.


Foram respondidos 79.160.207 questionários, dos quais 88,9% com 26 quesitos e 11,1% com 77 quesitos. No total, 98,88% das entrevistas foram presenciais; o restante foi pela internet ou telefone.



Fonte: G1

Comments


bottom of page